26.5 C
Manaus, BR
20 de setembro de 2020
Artigos Pastores Edson e Lenir

Vida de adorador – Naamã

2 Reis 5
1 – E Naamã, capitão do exército do rei da Síria, era um grande homem diante do seu SENHOR, e de muito respeito; porque por ele o SENHOR dera livramento aos sírios; e era este homem herói valoroso, porém leproso.
2 – E saíram tropas da Síria, da terra de Israel, e levaram presa uma menina que ficou ao serviço da mulher de Naamã.
3 – E disse esta à sua senhora: Antes o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria; ele o restauraria da sua lepra.
4 – Então foi Naamã e notificou ao seu senhor, dizendo: Assim e assim falou a menina que é da terra de Israel.
5 – Então disse o rei da Síria: Vai, anda, e enviarei uma carta ao rei de Israel. E foi, e tomou na sua mão dez talentos de prata, seis mil siclos de ouro e dez mudas de roupas.
6 – E levou a carta ao rei de Israel, dizendo: Logo, em chegando a ti esta carta, saibas que eu te enviei Naamã, meu servo, para que o cures da sua lepra.
7 – E sucedeu que, lendo o rei de Israel a carta, rasgou as suas vestes, e disse: Sou eu Deus, para matar e para vivificar, para que este envie a mim um homem, para que eu o cure da sua lepra? Pelo que deveras notai, peço-vos, e vede que busca ocasião contra mim.
8 – Sucedeu, porém, que, ouvindo Eliseu, homem de Deus, que o rei de Israel rasgara as suas vestes, mandou dizer ao rei: Por que rasgaste as tuas vestes? Deixa-o vir a mim, e saberá que há profeta em Israel.
9 – Veio, pois, Naamã com os seus cavalos, e com o seu carro, e parou à porta da casa de Eliseu.
10 – Então Eliseu lhe mandou um mensageiro, dizendo: Vai, e lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será curada e ficarás purificado.
11 – Porém, Naamã muito se indignou, e se foi, dizendo: Eis que eu dizia comigo: Certamente ele sairá, pôr-se-á em pé, invocará o nome do Senhor seu Deus, e passará a sua mão sobre o lugar, e restaurará o leproso.
12 – Não são porventura Abana e Farpar, rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel? Não me poderia eu lavar neles, e ficar purificado? E voltou-se, e se foi com indignação.
13 – Então chegaram-se a ele os seus servos, e lhe falaram, e disseram: Meu pai, se o profeta te dissesse alguma grande coisa, porventura não a farias? Quanto mais, dizendo-te ele: Lava-te, e ficarás purificado.
14 – Então desceu, e mergulhou no Jordão sete vezes, conforme a palavra do homem de Deus; e a sua carne tornou-se como a carne de um menino, e ficou purificado.

INTRODUÇÃO – Esta história é muito conhecida no nosso meio. Já tiramos dela lições preciosas para a nossa vida, para o nosso ministério e para melhor poder compreender a forma do agir de Deus na nossa vida, trazendo cura integral.

Precisamos entender, de uma vez por todas, o significado do novo nascimento e de todas as mudanças por ele promovido.

Precisamos ler, decorar e praticar os ensinamentos do Apóstolo Paulo, no livro de Efésios, no capitulo 4, quando ele nos adverte a nos despir do velho homem e nos revestir do novo homem, deixando tudo o que nos faz lembrar o velho homem com os seus pecados.

Então vamos a história da vida de Naamã:

PRIMEIRA PARTE – Verso 1 – E Naamã, capitão do exército do rei da Síria, era um grande homem diante do seu SENHOR, e de muito respeito; porque por ele o SENHOR dera livramento aos sírios; e era este homem herói valoroso, porém leproso.

A história de Naamã começa ressaltando as suas qualidades e traz um porém. Vamos as qualidades:
– Capitão do exército da Síria – Em algumas traduções ele é chamado de General e comandante do Exército da Síria, que era considerado um dos exércitos mais fortes da época;
– Um grande homem diante do seu Senhor – O importante não é a imagem que nós temos de nós mesmos, mas a imagem que Deus tem de nós e ele era considerado um grande homem por Deus.
– Um homem respeitado – Respeitado pelo seu cargo, pela sua patente, pela sua integridade e caráter;
– Um homem usado por Deus – A Bíblia fala que através dele, Deus dera livramento aos sírios;
– Um herói valoroso – Não era e não foi como um herói moderno, que normalmente é derrotado por drogas ou AIDS, ou tem como hobby matar inocentes em nome de uma causa socialista.

SEGUNDA PARTE – Diante de toda esta exposição de fama, sucesso e valores, existia um porém, que a Bíblia acentua muito bem no final do verso 1, quando diz: Porém era leproso.
A lepra era uma doença terrível e até considerada um açoite, um castigo de Deus, uma maldição. Não tinha cura e ia degenerando o corpo com sequelas, trazendo deformidades como perda de pelos, da cartilagem do nariz, queda dos dedos dos pés e das mãos e em casos mais graves, ulceração na pele, perda dos dentes e dos cabelos.
Além de todo este sofrimento, o leproso não podia se relacionar com os sãos, tendo que viver fora das cidades e se auto identificar como impuro, imundo, todas as vezes que alguém se aproximasse dele.

Fico imaginando o grande conflito da alma de Naamã. No passado o herói querido, famoso e de sucesso. No futuro, abandonado por todos, morando em cavernas e no deserto.

TERCEIRA PARTE – Naamã ouve as palavras da escrava – Verso 2 – E saíram tropas da Síria, da terra de Israel, e levaram presa uma menina que ficou ao serviço da mulher de Naamã.
3 – E disse esta à sua senhora: Antes o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria; ele o restauraria da sua lepra.

Esta parte mostra que a lepra tinha atingido a alma de Naamã. Ele não foi a Israel porque creu nas palavras da sua serva e sim porque fora convencido pelo rei, que o ordenara a ir. Verso 4 – Então foi Naamã e notificou ao seu senhor, dizendo: Assim e assim falou a menina que é da terra de Israel.
5 – Então disse o rei da Síria: Vai, anda, e enviarei uma carta ao rei de Israel. E foi, e tomou na sua mão dez talentos de prata, seis mil siclos de ouro e dez mudas de roupas.
A lepra que tinha atingido Naamã na alma, agora é mais evidente, quando ele chega a Samaria para ser recebido pelo profeta Eliseu. Verso 9 – Veio, pois, Naamã com os seus cavalos, e com o seu carro, e parou à porta da casa de Eliseu.
10 – Então Eliseu lhe mandou um mensageiro, dizendo: Vai, e lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será curada e ficarás purificado.
Não era isso que Naamã esperava. Ele queria ser recebido como General e não como leproso, mas o Profeta o recebeu como leproso e não como General.
Naamã então se indignou: Verso 11 – Porém, Naamã muito se indignou, e se foi, dizendo: Eis que eu dizia comigo: Certamente ele sairá, pôr-se-á em pé, invocará o nome do Senhor seu Deus, e passará a sua mão sobre o lugar, e restaurará o leproso.
12 – Não são porventura Abana e Farpar, rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel? Não me poderia eu lavar neles, e ficar purificado? E voltou-se, e se foi com indignação.
Mais uma vez Naamã deixa a carne prevalecer e quase perde a chance de receber a bênção e a cura.

Mais uma vez ele mostrou que não estava lá pela fé e mais uma vez foi salvo pela sensibilidade de seus servos: Verso 13 – Então chegaram-se a ele os seus servos, e lhe falaram, e disseram: Meu pai, se o profeta te dissesse alguma grande coisa, porventura não a farias? Quanto mais, dizendo-te ele: Lava-te, e ficarás purificado.

QUARTA PARTE – 14 – Então desceu, e mergulhou no Jordão sete vezes, conforme a palavra do homem de Deus; e a sua carne tornou-se como a carne de um menino, e ficou purificado.

Naamã, para não perder a viagem, diante da insistência dos servos, resolveu mergulhar e foi totalmente curado.
Mais existem algumas lições nesta atitude de Naamã, que lhe proporcionaram a cura, que precisamos aprender:

Primeira lição – Ele precisou se despir para mergulhar.
Despiu-se da farda – Da posição social, da autoridade;
Despiu-se das medalhas – Da fama, do sucesso;
Despiu-se da sua arrogância – Ouviu os seus servos;
Despiu-se da sua incredulidade – Obedeceu ao Profeta de Deus.
Segunda lição – Ele não guardou ressentimento do Profeta e voltou para agradecer.

Terceira lição – Ele levou terra do solo de Israel para cultuar ao Senhor eternamente.

CONCLUSÃO – O que isto tem a ver com adoração e com vida de adoração?
Tem muito a ver. As vezes estamos com a nossa farda de adorador, com as nossas medalhas de honra, temos um bom conceito com os pastores e com a igreja, mas por dentro, na alma, estamos leprosos e esta lepra vai nos levar a uma derrota, a uma destruição.

Precisamos mergulhar sete vezes:
1) mergulhar no nosso próprio íntimo e descobrir que precisamos de cura;
2) procurar ouvir Deus nas pessoas menos prováveis;
3) mergulhar na nossa viagem em busca da cura;
4) abandonar as nossas vaidades, a nossa autoridade, o nosso cargo, a nossa importância;
5) precisamos ser obedientes, mesmo nas coisas que nos parecem ridículas;

6) precisamos ouvir mais as pessoas que nos cercam, mesmo que elas não sejam tão importantes assim;
7) precisamos mergulhar sabendo que a vontade de Deus é sempre o melhor para a nossa vida.

Edson e Lenir de Jesus – São Pastores da IGREJA BATISTA BÍBLICA DE FLORES – Uma Igreja de Poder – No Caminho da Graça – Manaus – AM.

Publicações Relacionadas

Mundo pet: “Mãe de pet também é mãe”

Francisco Araujo

A pobreza de espírito

Francisco Araujo

Não terás outros deuses diante de mim

Francisco Araujo

2 Comentários

Avatar
Wagner Rodrigues 26 de dezembro de 2019 at 11:17

A história de Naamã sempre magnetizou-me, a jovem escrava, exemplo de fidelidade em anunciar o Eterno e Naamã cercado de alguns que queriam realmente o seu bem e sua obediência plena, tão carente na igreja atual, onde alguns mergulham 5 ou 6 vezes e até 6,5 e outros mergulham completamente no Senhorio de Jesus e na maravilhosa Palavra de Deus, Naamã grande exemplo vivo para todos nós.
Linda exposição Pr Edson, como sempre extrai pelo E.S preciosas lições.

Resposta
Avatar
Darciane 27 de dezembro de 2019 at 08:45

Naamã,é um exemplo de filho desobediente,aquele que nao aceita muito conselho,por já se ter como alguém,por todos seus feitos,suas qualidades diferenciada.Quantas vezes o irmaozinho vai a igreja,senta-se ao nosso lado,e nao percebemos a importancia dele,por nao termos intimidade,ou até por ele nao esta bem vestido,e acabamos perdendo alguem que poderia vim a ser um servo do Senhor.Mas por falta de nos despir de nós mesmo e quebramos o orgulho,acontece a inverçao de valores, na verdade estamos mesmo convencidos de está agradando a Deus por tudo,mas esse tudo,nao me permite me despir de mim mesma,e alcaçar a vida do outro,que me estende a mao e pede socorro.
Mergulhar de fato no amor de Deus,é um exercicio cotitiano diarío de ABNEGAÇAO.Nao sou mais eu que vivo mas Cristo vive em mim.

Resposta

Deixe um comentário

WhatsApp chat