23 C
Manaus, BR
3 de março de 2021
Destaques Especiais

Venezuelana conta como é recomeçar a vida durante pandemia no Brasil

Lourdes Rojas de 24 anos, formada em ciências tributárias, é mais uma imigrante que saiu da Venezuela para o Brasil em busca de esperança, fugindo da fome e da miséria do governo de Nicolás Maduro.

O portal Amazônia Press conversou com a venezuelana que relatou que além da fome e falta de oportunidade, o estado de saúde da mãe foi um fator principal para que ela deixasse o seu país.

“O mais importante foi tentar salvar a vida da minha mãe, que foi diagnosticada com câncer de mama em 2018. Pacientes com doenças tão graves como o câncer estão condenados a morrer, porque na Venezuela é preciso ser milionário para poder pagar um tratamento, já que o sistema público de saúde não funciona”, disse a venezuelana.

Investindo ao máximo na saúde de sua mãe, Lourdes tentou permanecer na Venezuela, mas o dinheiro foi acabando aos poucos. “Minha mãe pôde fazer sessões de quimioterapias e a cirurgia na Venezuela com muito sacrifício, porque a gente praticamente ficou sem nada para custear o tratamento da minha mãe. O médico falou que tínhamos que fazer radioterapia, procuramos por toda a Venezuela, não tinha lugar para fazer radioterapia e na clínica privada custava 3.000 dólares, valor que não tínhamos”.

Lourdes trouxe sua mãe para o Brasil, com muita luta chegou em Manaus e levou-a para fazer tratamento na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (Cecon), que é um instituto de referência no tratamento ao câncer. Lourdes se deparou com um sistema de saúde muito desgastado com poucos médicos e profissionais da saúde, e com muitos pacientes. Infelizmente sua mãe morreu devido à metástase de câncer de mama e foi sepultada no Brasil, no inicio da pandemia de Covid-19, no dia 22 de março de 2020.

Depois de gastar muito com tratamentos, transporte, remédios, e com funeral de sua mãe, Lourdes, sua irmã e sobrinha se mudaram do bairro Dom Pedro para o Tarumã e se depararam com uma realidade dura: sobraram apenas R$ 150.

Apesar de todas as dores e saudades da mãe, Lourdes e sua família decidiram investir na venda de doces com as pequenas economias que sobraram. “Decidimos fazer sobremesas para vender no condomínio onde moramos. Assim, começamos as vendas de sobremesas La Melosa, em homenagem à nossa mãe, uma mulher doce, guerreira e de bom coração”, explicou.

Falando sobre suas dificuldades financeiras, Lourdes relatou: “Tínhamos apenas uma cama, um ventilador e uma cozinha, nada mais. Fazíamos sobremesas e comprávamos umas coisas para a casa, a primeira foi uma geladeira para fazer sobremesas geladas, começamos com cupcakes e brigadeiros, depois fizemos sobremesas geladas mosaico, geleias, pudins de frutas diversas”.

Apesar de gostar muito de culinária e fazer doces, a venezuelana também pretende atuar na sua área de formação acadêmica e explica que a o decreto com toque de recolher em Manaus atrapalhou suas vendas. ” Na Venezuela me formei como bacharel em ciências tributárias e gostaria de exercer minha profissão ou estudar outra coisa, mas continuaria com as sobremesas, é a minha forma de me adaptar à situação que vivo. A pandemia me deixou no zero, minha maior renda vinha das vendas nas ruas”, pontuou.

Lourdes também conta que o Brasil é um país agradável para viver porque não há tanta xenofobia como em outros países e que recebeu muita ajuda de brasileiros.

“A história que contei ao seu colega (Francisco Araújo) e a você (Victória Cavalcante), é a história de muitos venezuelanos que deixaram seu país forçados, de forma não planejada, fugindo da fome e da injustiça”, finalizou Lourdes.

Quem tiver interesse em acompanhar Lourdes nas redes sociais ou fazer encomenda de doces, sopas e até mesmo comidas venezuelanas, ela está nas redes sociais como @bellarojad em Instagram e Tik Tok @lamelosasobremesa

Publicações Relacionadas

Copa Verde: Manaus FC treina no CT Brasiliense para decisão domingo

Jeanne Gade

Cuidado! Golpista usa TudoCelular para roubar matou no WhatsApp | Detetive TudoCelular

Redacao

Papa: a fé sem hipocrisia “se esta pessoa é católica, é melhor ser ateu’”

Jeanne Gade

11 Comentários

Avatar
Daniel 18 de janeiro de 2021 at 16:58

Bravo ejemplo para todos los venezolanos

Resposta
Avatar
Ricardo Pfeifer 18 de janeiro de 2021 at 17:07

Meu Nome é Ricardo Pfeifer e moro na Venezuela a mais de 10 anos; la pude conhecer históricas de varios Venezuelanos e as dificultades de Viver naquele País nesse momento. A historia da Lourdes é um bom exemplo de que quem quer fazer alguma coisa para mudar de vida, FAZ!!!
Tive a oportunidade e o prazer de poder provar as especialidades da Lourdes quando passei por Manaus e recomendó de olhos fechados, você não Vai se arrepender!!!

Resposta
Avatar
DAVID YARLEY SILVA DE SOUZA 18 de janeiro de 2021 at 17:08

É uma linda história de superação incrível…..conheci a pouco tempo e senti uma energia nobre vindo de uma pessoa tão boa… Admiro muito sua força de vontade e sua esperança que nunca morre apesar de tudo ….❤️

Resposta
Avatar
Luciano Souza Costa 18 de janeiro de 2021 at 17:16

Conheci essa pessoa admirável e aguerrida , e que nas adversidades da vida nao deixa se abater, e sempre mantem esse sosstiso cativante. O mundo precisa de pessoas iguais a você. Parabéns a reportagem e a Lourdes Rojas

Resposta
Avatar
Arley 18 de janeiro de 2021 at 21:09

Muito linda a reportagem, parabéns pela atitude. Precisamos de mais exemplo assim no mundo. Muita superação…

Resposta
Avatar
Clarisa 19 de janeiro de 2021 at 05:24

Historias como estas deben ser contadas orgullosa de esta paisana

Resposta
Avatar
Daniela 19 de janeiro de 2021 at 08:26

Conmovedora historia orgullo para los venezolanos historias como esa deben ser contadas bravo guerrera

Resposta
Avatar
Luiz 19 de janeiro de 2021 at 08:47

Eu conheço muitos venezuelanos trabalhadores. É bom que publiquem histórias como a dessa menina, que Deus a abençoe

Resposta
Avatar
Marco 19 de janeiro de 2021 at 09:13

Guerrera esa paisana la mayoría de los venezolanos vinimos a trabajar para ayudar a nuestra familia que está en Venezuela felicitó a al canal por contar la historia de esa guerrera

Resposta
Avatar
Dayana 19 de janeiro de 2021 at 09:23

Dios te bendiga que historia tan motivadora que dan ánimo a todos los venezolanos que estamos en este país luchando y a este medio obrigada por contar está história

Resposta
Avatar
Daniel 20 de fevereiro de 2021 at 11:18

Me encanta esa esa historia

Resposta

Deixe um comentário

WhatsApp chat