Na manhã de sábado(13),uma travesti conhecida por Manuella Otto, foi assassinada em um quarto de motel.

Com um tiro, foi alvejada a travesti, o motivo do crime é desconhecido, mas o autor foi identificado através das câmeras de segurança do local. O fato aconteceu no motel “Minha Pousada”, localizado na avenida Samaúma, bairro Monte das Oliveiras, zona Norte da capital.

Segundo os funcionários da empresa, um homem chegou acompanhado em um carro modelo Prisma, de cor branca. Depois de alguns minutos em que o casal estava no quarto, se ouviu um tiro e em seguida o homem deixou o quarto sozinho.

Os funcionários se esconderam com medo do homem que tentou erguer o portão com as próprias mãos, sem sucesso. Na tentativa de empreender fuga, o homem teria arrebentado o portão do motel com seu carro.

Minutos depois os funcionários do hotel foram verificar o que tinha acontecido e encontraram a travesti caída com um tiro no tórax. Depois de verificadas as imagens do circuito de segurança, constatou-se que o autor possuí uma tatuagem no ombro.

O veículo também foi identificado como sendo de  um policial militar de nome Jeremias Costa da Silva, lotado na 12ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom). O policial estava afastado de suas funções por problemas de saúde.

De acordo com  informações, o policial Jeremias é agressivo, sobretudo quando alcoolizado. Na corporação,  o policial também possui casos de desavenças com os colegas. O caso segue sob investigação da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

A  vítima, Manuella Otto  era jornalista pela Uninilton Lins e participava de eventos artísticos, na capital, também trabalhou na Secretaria de Cultura do Estado do Amazonas e ainda no Liceu de Artes e Ofício Cláudio Santoro.

Foto  Portal Caboclo