SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Em meio à iminência de uma ação terrestre em larga escala na região de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, o Exército de Israel conduziu uma série de ataques aéreos no local na madrugada desta segunda-feira (12) no horário local, noite de domingo (11) no Brasil.

No canal de mensagens Telegram, as Forças de Defesa confirmaram os ataques na área de Shaboura e afirmaram que todos os alvos eram “terroristas”. Afirmaram, ainda, que a ação já havia sido concluída.

Rafah concentra atualmente a maior parte da população do território palestino adjacente a Israel, que se viu obrigada a deslocar-se para o sul para fugir dos ataques, por ar e terra, conduzidos por Israel nas demais partes da Faixa desde o último outubro.

O Hospital Europeu, que atua nos arredores de Rafah, precisamente em Khan Yunis, desde os anos 1990 após ser construído com doações da União Europeia, afirmou à agência Reuters que ao menos oito corpos chegaram ao local após a condução dos ataques.

Em comunicado, também o Crescente Vermelho, a versão da Cruz Vermelha em países de maioria muçulmana, afirmou que ações “violentas” estavam sendo operadas em Rafah.

Tudo isso ocorre em meio a afirmações do premiê de Israel, Binyamin Netanyahu, de que suas tropas muito em breve conduzirão uma ação terrestre em Rafah sob o argumento de eliminar os últimos terroristas da facção Hamas, que Tel Aviv pretende eliminar.

O temor da comunidade internacional, já verbalizado por líderes como o americano Joe Biden, reside nas vidas civis em jogo nesta porção de Gaza que hoje abriga os deslocados internos desse conflito.