26.5 C
Manaus, BR
26 de fevereiro de 2021
Cidades Destaques

Sem eventos, fotógrafo vende pipocas em Manaus para conseguir renda durante pandemia

O fotógrafo Wellington Pereira de Souza, de 28 anos é mais uma daquelas pessoas que devido às medidas de isolamento social, e falta de amparo do governo estadual e federal estão sendo obrigadas a procurar outras formas de sustento durante esse período da pandemia de Covid-19.

Wellington era contratado para fotografar eventos de aniversário, casamento, formatura e batizado, nunca imaginou que uma doença tão forte como essa poderia afetar o seu trabalho.

Além dos eventos nos finais de semana, para garantir uma renda extra, em 2018, Wellington começou a fazer e vender pipocas para as crianças que estudavam em uma escola municipal e em um campo de futebol, para a torcida..

A pandemia chegou, o setor de eventos foi um dos primeiros ramos profissionais a ser atingido pelas medidas restritivas no Amazonas, que visavam acabar com as aglomerações em eventos sociais, e Wellington ficou sem trabalhar como fotógrafo, mas ainda assim, conseguia vender suas pipocas.

Em março de 2020, as aulas da rede municipal de Manaus foram suspensas, e a partir de então, tudo se tornou mais difícil para Wellington. Tendo que se reinventar, começou a vender pipocas nas ruas de Manaus e também nos ônibus, o único ambiente onde as aglomerações continuaram sendo permitidas.

Em entrevista ao portal Amazônia Press, Wellington Pereira de Souza contou que suas dificuldades financeira chegaram junto com a pandemia. “Sinto falta dos momentos de alegria das pessoas se confraternizando e eu registrando os momentos”, disse.

Perguntamos para o fotógrafo, como ele está fazendo para pagar as contas de água e energia, e ele respondeu: “Depois que começou essa pandemia não consegui pagar nenhuma conta. Meus amigos me ajudaram muito, principalmente quando meu gás acabou e não tinha dinheiro para comprar”.

Wellington também acredita que os trabalhadores são os mais afetados nessa pandemia. “Essas restrições só prejudicam quem precisa trabalhar, como eu para garantir o pão de cada dia. Tenho esperança que tudo isso passe logo”, enfatizou o fotógrafo.

Quem tiver interesse em ajudar o fotógrafo Wellington Pereira de Souza pode depositar ou transferir qualquer valor para a conta corrente Bradesco- Agência: 1364 1 Conta: 0023051 0. Ou entrar em contato com ele pelo WhatsApp 92 9422-4756.

Publicações Relacionadas

1º Festival de Cinema de Rondônia está com inscrições abertas

Luciana Silva

Sejusc lança Rede de Enfrentamento à Violência Contra Mulher em Itacoatiara

Redacao

Juíza autoriza vacinação de idosos mediante documentos com fotos e CPF

Jeanne Gade

Deixe um comentário

WhatsApp chat