24 C
Manaus, BR
28 de outubro de 2020
Destaques Educação

Seduc relaxa no cumprimento de protocolo sanitário nas escolas, afirma sindicato de trabalhadores da Educação

É de conhecimento público que casos de covid-19 não estão parando de crescer entre servidores da Educação nas escolas públicas que retomaram as aulas. E existe a problemática, afirmou o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Sinteam), da Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc) começar a relaxar no cumprimento do protocolo sanitário feito por ela mesma e pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM).

Conforme o Sinteam, na Escola Estadual Ernesto Penafort a temperatura não é mais aferida na entrada da escola e existe a falta de álcool em gel nos recipientes. A denúncia foi dessa terça-feira (22), como está nos vídeos encaminhados ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam). Segundo o Sinteam, a sanitização também começou a não ser feita mesmo com novos casos surgindo nas escolas. Só entre os dias 13 e 19 de setembro chegou ao conhecimento do sindicato denúncia de três escolas que, mesmo com novos casos, não se fala em sanitização nas unidades.

A presidente do sindicato, Ana Cristina Rodrigues, esteve na Escola Estadual Padre Luiz Ruas, a pedido dos servidores, pois já são quatro casos positivos, inclusive entre alunos, e a escola não havia fechado para a desinfecção. A agenda de sanitização só chegou após a presença do Sinteam ao local. Porém, outras escolas como Frei Silvio Vagheggi, Professor Francisco das Chagas Albuquerque e Professora Ondina de Paula Ribeiro não passaram pela limpeza sanitária, de acordo com denúncias de servidores ao Sinteam. “Está acontecendo o que nós já prevíamos. Eles iam iniciar as aulas seguindo todos os protocolos e depois iriam relaxar”, considerou Ana Cristina.

“Os casos voltam a aumentar assim como as hospitalizações. É horas de ser mais rígido com os cuidados e as informações que chegam são essas. As aulas presenciais precisam ser suspensas”, afirmou a presidente do sindicato.

Posicionamento da Seduc

Já a Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc), por meio de nota para o portal Amazônia Press, informou que todas as medidas de protocolo de segurança em saúde estão sendo seguidas nas escolas, inclusive na Escola Estadual Ernesto Pernafort. Em afirmação da Seduc e de acordo com a gestão escolar, os alunos têm a temperatura medida na escola e, quando não é feita na portaria, para evitar aglomeração, a aferição é realizada na própria sala de aula. Caso a temperatura exceda o permitido, disse a Seduc, o estudante é retirado do ambiente.

Ainda conforme a nota da Seduc, as equipes de limpeza abastecem os frascos de álcool em gel para cada turno que vai entrar, mas, se o estudante ou profissional perceber que o recipiente está vazio, o reabastecimento pode ser solicitado a um dos funcionários. A Secretaria de Educação reforça que as escolas possuem álcool em gel, sabonete líquido, água sanitária e todos os demais produtos necessários para manter os ambientes higienizados antes, durante e após as aulas.

Quanto às denúncias que as três outras unidades citadas não terem passado pela limpeza sanitária, Frei Silvio Vagheggi, Professor Francisco das Chagas Albuquerque e Professora Ondina de Paula Ribeiro, foram apuradas. De acordo com as seguintes datas passadas pela Seduc, as escolas foram desinfectadas.

– Padre Luis Ruas

31/08/2020
02/09/2020
17/09/2020

– Frei Silvio Vagheggi

14/08/2020
02/09/2020
15/09/2020

– Francisco das Chagas Albuquerque

25/08/2020
28/08/2020
01/09/2020
04/09/2020
10/09/2020
16/09/2020
18/09/2020

– Ondina de Paula Ribeiro

19/08/2020
18/09/2020

Fonte: Assessoria do Sinteam e da Seduc.

Publicações Relacionadas

Ministra do STF pede investigação de vereador e abre inquérito contra deputado federal do Amazonas

Luciana Silva

Agredido a pauladas na rua, homem não resiste e morre dentro de casa

Jeanne Gade

Semana decisiva para o ex-governador Amazonino Mendes – Podemos

Redacao

Deixe um comentário

WhatsApp chat