28.3 C
Manaus, BR
17 de junho de 2021
Destaques Saúde

Ronco pode causar impotência sexual

Apneia obstrutiva do sono são paradas respiratórias de pelo menos 10 segundos cada, durante o sono, resultando frequentemente em redução da saturação de oxigênio e microdespertares.

Geralmente o parceiro (a) é o primeiro a perceber o ronco, engasgos e/ ou paradas respiratórias do seu cônjuge. Estima-se que cerca de 33 a 35% da população brasileira têm Apneia e esse número pode ser ainda maior. Os sintomas mais comuns são: sonolência e cansaço durante o dia, falta de concentração e de memória, podendo levar a consequências mais graves como: pressão alta, diabetes, enfarte, AVC, Alzheimer entre outros.

Em relação a impotência sexual, há estudos que demonstram que um paciente com apneia do sono, têm um risco 3 vezes maior de desenvolver impotência sexual, principalmente quando a apneia está associada com outros fatores de risco como idade, medicações, obesidade, diabetes e depressão. Lembrando que alguns desses problemas, também são agravados por um noite de sono insuficiente. Ou seja, acaba se tornando um ciclo. 

A cada ciclo do sono REM (uma das fases do sono), o homem pode apresentar uma ereção funcional que é importante para a manutenção da integridade estrutural e funcional do tecido erétil. Quando o paciente possui apneia, essas paradas respiratórias levam à hipóxia (baixa oxigenação dos tecidos), comprometendo e muitas vezes impedindo a ocorrência dessas ereções, com efeitos deletérios na fisiologia erétil. 

Outro problema que pode ser encontrado em pacientes com apneia, é a diminuição do principal hormônio sexual masculino: a testosterona. Esse hormônio é produzido na fase do sono REM e em pacientes com apneia, muitas vezes o sono REM está diminuído e com isso há diminuição da produção da testosterona, podendo levar a diminuição da libido. 

O diagnóstico da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono, se dá através de exames clínicos e pela polissonografia. Dependendo da gravidade do caso o tratamento é simples, e pode ser feito por um dentista capacitado na Odontologia do Sono, que fabricará um pequeno aparelho de acrílico que será colocado, entre os dentes na hora de dormir. 


Por Dra. Caroline Silvestri
Cirurgiã Dentista

CRO/SC 13.777
@dentistadosono 

Publicações Relacionadas

Michelle Bolsonaro recebeu depósitos em cheque da mulher de Queiroz

Flavia da Hora

Médica amazonense do Sistema Hapvida relembra trajetória de lutas e vitórias

Fabiane Monteiro

Amazonas já vacinou 70.437 pessoas contra influenza

Edivan Filho

Deixe um comentário

WhatsApp chat