Radialistas amazonenses recebem homenagem na CMM

Radialistas-amazonenses-homenagem-CMM
Fotos: Ramoniel Gomes

Presente na casa da maioria dos brasileiros, o rádio alcança as comunidades mais distantes de qualquer lugar do mundo e, no Amazonas, que possui locais pouco conhecidos até pelos próprios amazonenses, o rádio é na maioria das vezes, o único veículo de comunicação presente, seja para entretenimento ou informação, o rádio ocupa sempre um lugar especial na casa do brasileiro. O Dia do Radialista, comemorado em 21 de setembro, foi lembrado pelos vereadores Elias Emanuel (PSDB), professor Gedeão Amorim (MDB) e Roberto Sabino (PROS), e Elissandro Bessa (Solidariedade). Eles, na manhã desta sexta-feira (20), condecoraram os principais nomes  que dão voz na  região. Durante a solenidade os homenageados receberam medalha e certificação de reconhecimento pelos serviços prestados à comunidade do Amazonas e puderam contar um pouco de suas trajetórias e experiências.

Paulo Guerra, considerado por Elias Emanuel como marca da cidade de Manaus e um dos profissionais de maior destaque no radiojornalismo do Amazonas, reconhece que é um grande comunicador e frisa que sua maior marca é a pontualidade. “Eu trabalho na Rádio Difusora há 48 anos apresentando o Jornal da Manhã, o que não é pouco tempo, mas sempre tive muita disciplina. Rádio é horário e você tem que obedecer o horário. E pontualidade é tudo!”.

O comunicador destaca ainda, que a Casa lisonjeou e prestou essa homenagem pelo reconhecimento de seu trabalho, o que considera justo, já que tem dedicado sua vida em função do seu trabalho como comunicador.

Como vice-presidente do Sindicato dos Radialistas de Manaus, Paulo Guerra, lamenta que a categoria possua pouca ou nenhuma representatividade. Para ele, maus representantes e gestores sindicais de outras categorias contribuíram para manchar o nome da maioria dos sindicalista, que preocupados com o próprio bolso, esqueceram de realizar o serviço para o qual se designaram, fazendo com o que a maioria dos trabalhadores ficassem desassistidos. “Lamentavelmente o mundo sindical hoje atravessa um problema muito sério. E aqui no Brasil, principalmente com a mudança na Lei trabalhista pegou de cheio os sindicatos, sem que o Governo desse ao menos um período de carência, para que os sindicatos pudessem se organizar”.

Para o radialista Paulo Guerra, as federações, confederações, CUT e demais centrais que poderiam representar os trabalhadores, vivem à mingua, sem nenhum recurso, o que as deixa enfraquecidas.

Radialistas-amazonenses - CMM
Primeira locutora e apresentadora de programa de TV e rádio no Amazonas, Jerusa Santos – foto: Ramoniel Gomes

Também homenageado neste evento, o radialista Eduardo Silva retratou o fato de o locutor não ser visto pelo grande público, fato esse que muitas vezes deixa o profissional despercebido.

“Pra você que trabalha em rádio e’interessante, porque não é todo dia que acontece esse tipo de homenagem. Eu me sinto muito feliz e agradecido por essa homenagem e pelo reconhecimento e transmito a todos os demais colegas, sejam de rádio, TV, Internet, que agora estão todos juntos por meio do aplicativo”, disse emocionado.

Radialistas amazonenses recebem homenagem na CMM
Conselheiro do TCE-AM e comunicador amazonenses, Josué Filho; radialista Paulo Guerra e o vereador Elias Emanuel – foto: Ramoniel Gomes

Reconhecido como o comunicador das grandes marcas, Mateus Arruda, também destaca que foi agraciado pela transformação da grande mídia e se sente feliz pelo reconhecimento. “A comunicação no Amazonas tem avançado e a classe de comunicador tem ficado mais unida, antes não era bem assim. A gente entra no ar em outras rádios e vice-versa e isso é legal. Quem está começando agora, tem a oportunidade de ter as novas ferramentas como aliados da interatividade e da comunicação. O rádio está cada vez mais dinâmico e interativo, e qualquer pessoa que queira comunicar pode contar com os avanços da tecnologia ao seu favor”, pontuou Arruda que relatou o alcance e a força do rádio pelo interior do Amazonas.

Radialistas-amazonenses-homenagem-CMM-2
Coordenadora do curso de Comunicação da faculdade Uninorte, Edilene Mafra; radialista Paulo Guerra e a primeira mulher radialista e apresentadora de programa de TV no Amazonas, Jerusa Santos

O Dia do Rádio, ou da Radiodifusão, e o Dia do Radialista foram comemorados juntamente, em 21 de setembro que é também o Dia da Árvore. A celebração teve início em 1945, quando um decreto assinado pelo presidente Getúlio Vargas fixou os níveis mínimos de salário dos trabalhadores em empresas de radiodifusão. Nos anos 1980, por ocasião do IV Congresso Brasileiro de Radiodifusão, realizado na Bahia, os proprietários de emissoras decidiram estabelecer uma data para comemorar em separado O Dia da Radiodifusão. Escolheram 25 de setembro, pois nesse dia nasceu Roquette-Pinto. Edgard Roquette-Pinto, médico, antropólogo e professor, nascido em 1.884, fundou a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, em 21 de abril de 1923.

radialista Mateus Arruda
Comunicador das grandes marcas, Mateus Arruda – foto: Ramoniel Gomes

Dessa forma, passamos a comemorar em 21 de setembro o Dia do Radialista e em 25 desse mês o Dia do Rádio, ou da Radiodifusão.

Mais recentemente, em decreto assinado pelo Presidente Lula, foi instituído no calendário de efemérides nacionais o Dia do Radialista a ser comemorado em 7 de novembro, data de nascimento do compositor, músico e radialista Ary Barroso.

Radialista amazonense
O radialista amazonenses Jurandir Vieira também foi homenageado – foto: Ramoniel Gomes

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here