30.5 C
Manaus, BR
19 de outubro de 2020
Destaques Política

“Pretendo chacoalhar essa câmara, eu vou falar, vou incomodar e fazer barulho lá dentro”, diz a pré – candidata a vereadora Laura Lys

A pré-candidata a vereadora Laura Lys (PSC) esteve na web rádio Amazônia Press (21) para uma entrevista onde conta um pouco da sua história e desafios na política em sua primeira candidatura. Respondeu a temas polêmicos, como ser do partido do atual governo, renovação política na câmara dos vereadores e padrinho político .

Laura Lys, tem 38 anos, manauara, casada, mãe. É jornalista e radialista, com formação acadêmica e registro profissional de trabalho. Diz que não deve nada a ninguém, não tem padrinho político, nem veio de berço político. Seu pai é militar da reserva e sua mãe professora aposentada. Se diz estar livre para mostrar suas convicções e projetos.

A candidata acredita que para mudar os rumos da cidade, e para mudar o destino da nossa vida, é preciso chacoalhar a Câmara Municipal de Manaus. Que muitas vezes está inerte, com pautas que não fazem a diferença nas nossas vidas e que parece que estão legislando em outro lugar. Ela diz que vai falar, vai incomodar e fazer barulho lá dentro.

“Se nos anularmos perdemos nosso direito de cobrar. Não tem jeito, precisamos saber escolher entre as pessoas que estão aí, a política está no nosso dia a dia. Naquela fila que a gente enfrenta, do preço de um arroz, ali está o resultado que fizemos e por isso coloco o meu nome à disposição do povo”

Como mulher e jornalista está tendo muitos desafios, um deles é de quebrar um velho paradigma. “O que me deixa mais aborrecida é quando as pessoas dizem que mulher não vota em mulher. Eu não acredito nisso, a maioria das mulheres tem sua melhor amiga, porque não pode confiar em uma candidata mulher ? Vamos ter mulher na política sim e na câmara dos vereadores”.

Laura Lys é pré-candidata pelo Partido Social Cristão (PSC) do atual governador Wilson Lima, e que vem tendo alguns escândalos tanto em Manaus, quanto no Rio de Janeiro e com a presidência do partido, Pastor Everaldo, o qual foi preso.

“Eu nunca conversei com o governador dentro do partido. Eu me apresento ao partido através da minha história, da minha trajetória, e do trabalho que desenvolvo. Eu escolhi o PSC, e o PSC também me escolheu em função de todo o trabalho nas comunidades. Eu confio nas autoridades, e se for provado alguma irregularidade, que venha à tona e seja corrigido”, afirmou Laura.

Sua candidatura tem sido pautada com projetos voltados para as mulheres, empreendedorismo, social e para a categoria dos jornalistas, da qual fez parte. Se você gostou dessa entrevista e quer vê-la completa, é só acessar o link: https://youtu.be/6KneFYf_B9w

Foto: Assessoria Laura Lys

Publicações Relacionadas

Cievs/Manaus apresenta estratégia para investigação de óbitos por síndromes respiratórias

Luciana Silva

Adjuto Afonso trabalha para fomentar cadeia produtiva da piaçaba

Redacao

Ariely Stoczyński vira sensação e expressa força da nova geração de modelos

Redacao

Deixe um comentário

WhatsApp chat