Política e gestão pública foram o tema do programa Amazônia Press No Ar

João Tayah
Foto: Carlos Eduardo/Amazônia Press

O programa Amazônia Press No Ar recebeu nesta segunda-feira (18) o delegado civil João Tayah para falar acerca da questão política e gestão pública no Amazonas e no Brasil.

Comentada no mundo inteiro, a soltura do ex-presidente Lula foi inconstitucional para alguns e bastante justa para outros, como foi para o delegado, que vê o caso como uma decisão constitucional e de respeito à democracia.

“Analiso tudo como um avanço da democracia brasileira, considerando que a saída do ex-presidente Lula foi um reflexo de uma decisão do STF que visou confirmar o conteúdo da Constituição Federal, cujo artigo 5° é muito claro em afirmar que ninguém será considerado culpado antes do trânsito em julgado e de sentença penal condenatória. Esse é um direito fundamental previsto na Constituição que não diz respeito estritamente ao Lula”, relatou.

O delegado também falou sobre os vários riscos que a sociedade e o meio ambiente podem sofrer com a possível reintegração da BR 319, dentre eles com a segurança pública, saúde e educação.

“A Região Norte precisa preservar a sua floresta como um meio de desenvolvimento sustentável. Além de proteger a Zona Franca, não podemos permitir que o nosso Estado seja entrecortado por rodovias. Sei que muitas pessoas querem que a BR 319 saia, para conectar Manaus com o restante do Brasil, mas existem outros meios de locomoção menos danosos ao meio ambiente. A rodovia vem aliada ao desmatamento, ao trabalho escravo e à prostituição infantil”, explica João Tayah.

O Amazônia Press no Ar é um programa diário transmitido pela rádios FM 89,3, de segunda a sexta-feira, às 18h. Para saber mais, confira a entrevista completa na íntegra:

ENTREVISTA COM DELEGADO CIVIL, JOÃO TAYAH E O PADRE CLEODON LIMA.

Amazônia Press

Posted by Amazônia Press on Monday, November 18, 2019

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here