Foto: Reprodução/Redes Sociais

A Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou Silvana Taques dos Santos, mãe de Larissa Manoela, por intolerância religiosa após ela chamar a família do genro, André Luiz Frambach, de “macumbeiros”. O órgão confirmou a conclusão do inquérito ao Estadão por e-mail.

Em meio a briga pública da família por questões financeiras e administrativas, o Fantástico exibiu uma conversa na qual Silvana diz para Larissa esquecê-la na noite de Natal de 2022. No entanto, no restante das mensagens divulgadas pelo colunista Lucas Pasin, a mãe chama os parentes do noivo da atriz de “família de macumbeiros”.

A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) do Rio de Janeiro iniciou uma investigação sobre a empresária por alegações de intolerância religiosa depois das mensagens se tornarem públicas. A denúncia foi feita pela Comissão de Combate à Intolerância Religiosa do Estado, e a acusação se baseia na Lei 7.716/1989, que trata do racismo religioso.

A advogada que representa Larissa Manoela e seu noivo, André Luiz Frambach, no processo movido contra a mãe da artista, Silvana Taques, por intolerância religiosa, solicitou a dispensa da atriz de prestar depoimento. A informação foi confirmada em um comunicado assinado pela advogada Patrícia Proetti e enviado ao Estadão.

Segundo Patrícia, a equipe que defende o casal entrou com um pedido de habeas corpus devido ao fato de Larissa ser filha de Silvana. A advogada não confirmou se o pedido foi aceito, mas, se for, a atriz não será obrigada a testemunhar contra a mãe nem a depor.

Um pedido também foi feito para que André fosse liberado de testemunhar contra a sogra por ser “parente de afinidade”. O juiz, porém, negou a solicitação e o ator deve depor. “Desta forma, André está, a contragosto, cumprindo com o que foi determinado judicialmente”, diz um trecho da nota.

O Estadão tentou contato com Silvana para saber se ela teria algum posicionamento sobre a acusação e a investigação, mas não teve retorno até o momento desta publicação. A reportagem também tentou falar com André Luiz Frambach e Larissa Manoela, sem resposta. O espaço segue aberto.

Entenda o caso

A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) do Rio de Janeiro iniciou uma investigação envolvendo Silvana Taques, mãe da atriz Larissa Manoela, por alegações de intolerância religiosa. A denúncia foi formalizada pela Comissão de Combate à Intolerância Religiosa do Estado, e a acusação se baseia na Lei 7.716/1989, que aborda o racismo religioso.

A investigação surge em um contexto de tensões públicas entre Larissa Manoela e seus pais, relacionadas a questões financeiras Uma conversa divulgada ao público trouxe à luz comentários de Silvana sobre a religião da família do noivo de Larissa. Caso a investigação confirme a veracidade das acusações, Silvana Taques poderá enfrentar sanções legais, incluindo multa e reclusão de até três anos.

A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) confirmou que Larissa, André e Silvana haviam sido intimados para depor sobre o caso no final de agosto. Ainda não se sabe as datas das audiências.

Relembre a briga de Larissa Manoela com os pais

Larissa Manoela rompeu a relação com os pais que, até então, eram os administradores de sua carreira. A polêmica teve início quando Larissa abriu uma auditoria contra a mãe para investigar a suposta venda de sua mansão em Orlando, nos EUA, o que foi negado pelos pais.

Em entrevista ao Fantástico em agosto, ela revelou detalhes sobre o caso e contou que, mesmo após completar 18 anos, não era informada sobre suas questões financeiras. Por esse motivo, a artista passou a questionar a situação de maneira incisiva no ano passado.

A artista contou que recebia apenas uma mesada dos pais. Em um trecho da entrevista para o programa da Globo, ela mostra um áudio enviado ao pai pedindo dinheiro para que comprasse um milho durante uma ida à praia.

AM Post