28 C
Manaus, BR
23 de janeiro de 2021
Destaques Especiais

Pandemia, fotografia e correria: Yoara Leite conta como a rotina de trabalho mudou em 2020

O setor de eventos foi o mais afetado pela pandemia de Covid-19 devido ao isolamento social, decretos fechando casas de show, bares e salões de festa. Com isso, os fotógrafos de eventos sociais foram os mais prejudicados financeiramente.

Contratos encerrados, venda de equipamentos e eventos adiados foram a única saída para esses profissionais se manterem no mercado e resistir à crise econômica que chegou junto com a pandemia.

Por outro lado, os ensaios fotográficos em estúdio foram mais procurados. Ensaios de gestação, família, infantil, natalino e o divertido smash the cake de bebês brincando e se melando com bolos decorados estão tomando conta do mercado fotográfico.

Pensando nisso, o portal de notícias Amazônia Press conversou com uma fotógrafa referência no ramo da fotografia em estúdio que contou um pouco sobre suas expectativas para o próximo ano, história com a profissão e mercado de trabalho.

Yoara Leite é fotógrafa há 15 anos em Manaus, atualmente trabalha com ensaios sensuais, smash the cake, Newborn, gestantes, 15 anos, casal e infantil, e afirma que durante esse período de pandemia, seu tempo e rotina tiveram que se adaptar à nova realidade.

“Estou trabalhando inclusive em dobro, estou até rouca, sem voz de tanto falar com as crianças, porque meus ensaios são com foco maior nas crianças. Vida pessoal zero, sem sair, sem ter muito contato com amigos e trabalhando muito. Eu costumo brincar que eu faço plantões: eu trabalho 12 horas por dia, mais os finais de semana e feriados para poder atender a todos”, afirmou a fotógrafa.

O ano de 2020 não está sendo fácil para ninguém, mas já podemos afirmar que é uma página virada, e nesse contexto de fim de ano, os planos para 2021 estão sendo traçados, perguntamos à Yoara se 2021 será um ano para aplicar tudo que aprendemos ou se ainda será para aperfeiçoamento profissional.

“Na verdade, 2021 já está bem aí, então é nítido de que as coisas não vão voltar à normalidade, infelizmente. Com relação a se reinventar, independente da pandemia ou não, no ramo que eu trabalho, no estúdio, tem que se reinventar o tempo todo, com criatividade. Fotografia é arte, então ela tem que tá sempre criada e reinventada com muita criatividade”, pontuou.

Yoara também destacou que mesmo que os eventos sociais possam ser retomados em 2021, quer continuar seu trabalho em estúdio.

“Pretendo continuar com meus ensaios fotográficos, temáticos, famílias, eventos sociais nem tanto porque é de onde eu vim, agradeço muito porque lá eu aprendi muita coisa, comecei com bailes, casamentos, debutantes, mas onde eu me apaixonei de fato foi pela fotografia em estúdio, em família e infantil, onde pretendo continuar mesmo”, disse.

Sobre seu começo na fotografia, Yoara Leite afirmou que foi uma coincidência, mas que com a ajuda de Deus, mesmo sem saber usar uma câmera, recebeu um dom.

“Comecei há 15 anos atrás, na época era fotografia analógica, em filmes, naquele bolinho que era uma caixinha surpresa, algumas eram reveladas em uma hora, depois em 30 minutos, foto 3×4 eram cortadas em câmeras escuras… Na verdade eu comecei como balconista, eu cai de paraquedas nessa profissão, comecei a realizar fotos mesmo quando a fotógrafa do estúdio faltou, aí eu falei: vou lá fazer essa foto! E eu não sabia nem manusear uma câmera fotográfica, eu só sabia que tinha um botão escrito on/off e onde ligava as tochas, porque eu observava muito. Naquele momento, eu pedi direção de Deus para que me orientasse em fazer boas fotografias e no final de tudo deu tudo certo, a minha chefe daquela época me elogiou bastante e gostou do resultado, foi quando fiquei animada e até hoje creio que foi um dom, porque até então eu não tinha a oportunidade de participar de cursos e com o passar do tempo tive oportunidade de participar de congressos”, relatou.

Para ela, a fotografia é essencial, e a descoberta desse dom a fez perceber, mesmo com muita luta e as vezes sem reconhecimento, que sua profissão eterniza momentos únicos na vida das pessoas.

“Depois, comecei a me especializar fazendo as minhas viagens com fotografia família, Newborn, gestante e onde me apaixonei de fato pela fotografia em estúdio e é por isso que me dedico a ela, porque além de ser uma profissão, ela tem que ser amada, não é fácil, por alguns não é reconhecida, mas por outros sim. Na qual, daqui a alguns anos, você vê uma foto e não tem valor que supri o sentimento e a emoção ao ser vista”, finalizou Yoara.

Publicações Relacionadas

Carmen Bernardes fala sobre empreendedorismo no programa Amazônia Press No Ar

Fernanda Lopes

ONG promove evento de combate a Covid-19, racismo e fascismo

Victória Cavalcante

Atualizações ao vivo: À medida que os casos de coronavírus nos EUA disparam, a Casa Branca cava apesar das críticas

Redacao

Deixe um comentário

WhatsApp chat