Novembro Azul amplia alerta e chama atenção para saúde integral do homem

homem-medicacao-Novembro Azul
Exames preventivos, cuidados para evitar ISTs, atividade física e boa alimentação estão no ‘pacote’ recomendado por especialistas - foto: Freepik

Desde a infância, por questões socioculturais relacionadas à ‘masculinidade’, os homens são ensinados a não demonstrar vulnerabilidade. Na vida adulta, a máxima ‘homem não chora’, acaba refletindo na falta de cuidados preventivos com a saúde por boa parte deles. No entanto, essa realidade precisa mudar.

A campanha Novembro Azul alerta para o câncer de próstata, que, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), mata um homem a cada 38 minutos no Brasil, mas também convoca para a importância do cuidado com a saúde de forma integral. Afinal, é preciso estar atento a exames preventivos que vão refletir na melhoria da qualidade de vida e bem-estar masculinos.

“Na prática clínica, percebemos que os homens procuram bem menos o atendimento médico do que as mulheres. Eles nos procuram para fazer o check up levados por um familiar ou quando já estão sentindo muitos sintomas de alguma doença, passando mal mesmo”, afirma a endocrinologista e consultora médica do Sabin, Dorothy Carriço.

No dia a dia do consultório, a médica trata pacientes que já estão num quadro clínico considerado grave, mas que poderia ter sido evitado com um diagnóstico precoce. “Acredito que o grande problema do homem é justamente deixar para ir ao médico quando já está sentindo vários sintomas. A prevenção é muito importante. Os homens devem cuidar da saúde como rotina: fazer o check up anual e atividade física regular, além de uma alimentação balanceada”, destaca a médica.

homem-gordura-no-abdome-Novembro Azul
Foto: Freepik

Atividade física e alimentação saudável, aliás, estão entre as principais recomendações para evitar doenças como obesidade e diabetes, por exemplo. Estudo do Ministério da Saúde mostra que o índice de diabetes nos homens cresceu 54% entre os anos de 2006 e 2017. Entre as consequências da doença estão complicações no coração, nas artérias, nos olhos, nos rins e nos nervos, devido à grande quantidade de açúcar no sangue. Em sua fase inicial, ela é silenciosa, com poucos sintomas. Apenas quando já está num estágio mais avançado, começa a se manifestar com o aumento da sede, fome e vontade de urinar com maior frequência.

Câncer de próstata

A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino que está localizada abaixo da bexiga. Quando o câncer (tumor maligno) afeta o órgão, os sintomas iniciais também são silenciosos. O Inca estima que, neste ano, será registrado um total de 68,2 mil casos.

A prevenção contra a doença é o melhor caminho e uma das formas de identificar as alterações na próstata é o exame laboratorial de PSA (Antígeno Prostático Específico). A quantificação do PSA é importante para o diagnóstico e acompanhamento do câncer de próstata, permitindo a detecção precoce de lesões, mesmo de pequeno volume e deve ser interpretado em conjunto com o toque retal e com a ecografia prostática.

IST

A prevenção para as infecções sexualmente transmissíveis (IST) também deve fazer parte da rotina de cuidados do homem com a saúde. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada dia surgem mais de um milhão de novos casos de IST curáveis entre pessoas de 15 a 49 anos. Em números globais, isso significa que há mais de 376 milhões de novos casos anuais de quatro das principais IST: clamídia, gonorreia, tricomoníase e sífilis. “Se não tratadas, podem evoluir com diversas complicações e levar a pessoa, inclusive, à morte”, afirma o infectologista e consultor médico do Sabin, Marcelo Cordeiro.

Algumas IST podem não apresentar sintomas, tanto no homem quanto na mulher. Elas podem se manifestar por meio de feridas, corrimentos e verrugas próximas aos órgãos genitais e ânus. Outros sintomas também podem ocorrer, como dor pélvica, ardência ao urinar, lesões de pele e aumento de ínguas. As IST são transmitidas por meio do contato sexual (oral, vaginal, anal) sem o uso de camisinha masculina ou feminina, com uma pessoa que esteja infectada.

O uso da camisinha (masculina ou feminina) em todas as relações sexuais (orais, anais e vaginais) é o método mais eficaz para evitar a transmissão das IST, do HIV/AIDS e das hepatites virais B e C. “É importante destacar que as parcerias sexuais devem ser alertadas sempre que uma IST for diagnosticada. Sem tratamento ela continuará transmitindo e poderá evoluir com sérias complicações no futuro”, ressalta o especialista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here