No programa Amazônia Press, Ziza Martins fala sobre o seu amor pela educação

Ziza Martins
Foto: Carlos Eduardo/Amazônia Press

Em comemoração aos 25 anos do Centro Educacional Sandra Cavalcante (CESC), a diretora Ziza Martins esteve no programa de rádio Amazônia Press para falar um pouco sobre as suas experiências como gestora e os seus projetos futuros. A escola fica localizada na Travessa Hilda Cunha, no Conjunto Renato Souza Pinto 2.

O CESC foi fundado em 20 de novembro de 1994 com 32 alunos e atualmente chegou a até 1.200 alunos. Para Ziza, é gratificante ver os alunos que saem da instituição entrando no mercado de trabalho e se tornando grandes profissionais.

“É muito orgulho! Não apenas por ter passado pela minha escola, mas também pelos profissionais que trabalharam com esses alunos e estão de parabéns. Sempre abraço e fico emocionada quando os encontro por aí”, contou.

A gestora também falou um pouco sobre as principais dificuldades na fundação da escola que inicialmente tinha cerca de 5 alunos por sala e hoje pode ser considerada uma das melhores escolas da região norte de Manaus.

“Para todo empresário não é fácil. Não temos muita ajuda, nossa ajuda é os pais confiarem no nosso trabalho e matricularem os seus filhos. A maior dificuldade é a parte financeira, pois a parte pedagógica vai caminhando com o tempo”, relatou.

Durante a entrevista, a profissional ainda contou um pouco as homenagens que recebeu por se sobressair na área. Nos 350 anos de Manaus e 25 anos do CESC, Ziza Martins recebeu o 21º Prêmio Cidade de Manaus 2019 por toda a sua atuação no ramo da educação.

“Plantamos uma semente que deu certo, a Cidade Nova nos acolheu e ganhar esse prêmio maravilhoso como uma das melhores educadoras da cidade foi o resultado”, pontuou.

A escola pode ser vista como uma escola do futuro por ter as suas salas bem dinâmicas, e além disso comporta da educação infantil até o ensino médio. Por fim, a gestora da escola CESC deu alguns detalhes das novidades para o ano de 2020, ressaltando sempre que a instituição é totalmente inclusiva e trabalha com a acessibilidade.

“É uma escola que não fecha as portas para essas crianças. Em 2020, a escola vai ter a formação bilíngue. Os alunos do 9º ano ao ensino médio vão poder ficar na escola depois das aulas para montarem os seus grupos de estudo e depois poderão realizar a educação física. Também serão realizadas aulas de artes para os alunos do 1º ao 5º ano, no qual podem escolher se querem artesanato ou flauta, e do 6º ao ensino médio serão oferecidas aulas de violão”, destacou.

O Amazônia Press no Ar é um programa diário transmitido pela rádios FM 89,3, de segunda a sexta-feira, às 18h. Para saber mais, confira a entrevista completa na íntegra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here