30.5 C
Manaus, BR
27 de maio de 2020
Política

Na luta pela mulher, Débora Mafra é considerada pré-candidata no PSC

Destaque na luta pelos direitos e proteção à mulher, a delegada Débora Mafra, 50, apresenta números positivos após passagem pela Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM). Em cinco anos à frente da delegacia, Mafra deu andamento a mais de 26 mil procedimentos relativos às demandas femininas. Com objetivo de participar do pleito eleitoral deste ano, Débora Mafra é pré-candidata pelo Partido Social Cristão (PSC).

“A mulher, historicamente, quase sempre fora considerada como coisa, não como pessoa. Como coisa, parte dos homens quiseram colocá-la onde lhe aprouvesse, o que deixou a mulher sempre em segundo plano. Essas distorções vieram sendo corrigidas já faz algum tempo, mas ainda não chegou no nivelamento. Daí a importância de se abraçar a essa bandeira de luta, na tentativa de equalizar essas lamentáveis distorções sociais históricas”, destacou Débora.

Dos 18 anos que tem como policial civil, metade deles como escrivã e outra parte como delegada, Débora é formada, ainda, em direito, habilitação essa que lhe deu bagagem para desempenhar relevante trabalho enquanto esteve como titular da DECCM e a impulsionar os números de procedimentos relacionados às mulheres, como, aqui destaca-se medidas protetivas e inquéritos, além de outros atendimentos.

Com perfil técnico, mas atenta ao que se passa na sociedade e na importância de dar voz ao público feminino, Débora deu atenção aos meios sociais, por meio de palestras passou a orientar a sociedade no que diz repeito aos direitos das mulheres.

“Para gerir uma delegacia da mulher, é necessário ser mais que um bom profissional técnico. Não basta conhecer as leis, não basta chegar na hora e sair no final do expediente. É preciso entender todo um contexto histórico que a mulher tem passado. A partir desse entendimento, nossa gestão na DECCM teve um grande destaque, visto que saímos do gabinete e procuramos participar diretamente nos meios sociais, fazendo palestras, agarrando as oportunidades midiáticas para orientar a sociedade no sentido de respeitar o Ser Mulher”, explicou.

Defensora da igualdade entre homens e mulheres, Mafra apresenta seu trabalho à frente da DECCM como forma de buscar o equilíbrio entre os gêneros. “Impulsionamos o andamento de mais 26 mil procedimentos relativos às demandas femininas, entre medidas protetivas, inquéritos e outros atendimentos. Nunca se fez esse trabalho pensando em ficar evidente. Levou-se a sério esse trabalho, tendo em vista crermos que dias melhores poderemos ter, quando parte da geração atual, somando-se às futuras gerações, terão a consciência de que somos todos iguais. Não somente perante a lei, mas perante a sociedade, perante a família, perante os governos e as políticas de administração pública”.

É por acreditar em dias melhores que Débora Mafra lançou seu nome como pré-candidata à eleição deste ano. “Atualmente, tendo em vista a pregação feita no sentido de que as mulheres devem participar mais do comando, no geral, decidi praticar tal comando, quando verifiquei que em cargo político poderia fazer mais para melhorar a vida social, e assim me desincompatibilizei com objetivo de participar do pleito eleitoral, e atualmente estou como pré-candidata à cargo eletivo pelo PSC, não estando ainda definido o cargo, o que ficará sob a escolha do partido”, afirmou.

*  Com informações da Assessoria de Imprensa

Publicações Relacionadas

Caixa firma acordo com Comitê Paralímpico para atender deficientes

Redação

Marcelo Ramos palestra em Seminário do Correio Braziliense sobre ZFM

Conceição Melquiades

Setor primário no Amazonas é ameaçado por falta de insumos, diz Sinésio Campos

Fernanda Lopes

Deixe um comentário

WhatsApp chat