25 C
Manaus, BR
4 de junho de 2020
Economia

Ministro da Economia diz que auxílio emergencial pode durar mais tempo

O ministro da Economia, Paulo Guedes destacou durante uma conversa com empresários nesta terça-feira (20), que o Governo estuda dar continuidade ao auxílio emergencial por mais meses.

O benefício é pago aos trabalhadores informais e pessoas de baixa renda prejudicados pelos impactos da pandemia de Covid-19 na economia. Os beneficiários precisam estar inscritos do cadastro social do governo e no Bolsa Família, ou fazer o pedido pelos canais de atendimento do banco. O valor é de R$ 600.

O pagamento está previsto para ser efetuado em 3 parcelas de 3 meses (abril, maio e junho). Para estender o prazo, porém, o ministro disse que o valor reduzia para R$ 200. E seria por 1 ou 2 meses a mais. Ele afirmou que não há condições de manter o mesmo valor para os meses seguintes.

A prorrogação do benefício aumenta o gasto do governo federal e ampliaria o deficit das contas públicas, que pode superar R$ 600 bilhões em 2020, segundo o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida.

“O que a sociedade prefere, 1 mês de R$ 600 ou 3 de R$ 200?”, questionou Paulo Guedes em conversa com os empresários. Ele disse ainda que o valor é similar ao pago aos beneficiários do Bolsa Família.

O ministro também ressaltou que é preciso fazer com que as pessoas trabalhem, em vez de se manterem com o benefício do governo federal. Guedes declarou que, se o governo ficar adiando o auxílio, “ninguém trabalha”“Ninguém sai de casa e o isolamento vai ser de 8 anos porque a vida está boa”, afirmou.

O líder da equipe econômica disse também que em algum momento as prateleiras ficarão vazias por falta de produção do país. Disse que é preciso equilíbrio.

Depende do isolamento

Poder360 apurou no Ministério da Economia que não está resolvido se o valor será de R$ 200 em caso de prorrogação. A decisão dependerá de outras, nos Estados e municípios, sobre a prorrogação do isolamento.

Caso o retorno da economia à normalidade leve mais tempo, avalia-se que será necessário estabelecer 1 valor maior do que R$  200, porque os trabalhadores informais terão a renda reduzida por mais tempo.

A decisão terá de ser tomada dentro de 30 dias aproximadamente. Até lá, a 3ª parcela do auxílio emergencial terá sido paga e será preciso começar a preparação para a seguinte, caso se opte pela prorrogação.

Poder 360

Publicações Relacionadas

Inflação pelo IGP-10 cai de 0,70% para 0,49%, diz FGV

Redação

Petrobras diz que não há previsão para reajuste de preços

Redação

Ministério suspende exportação de carne bovina para a China

Redação

Deixe um comentário

WhatsApp chat