Medidas de segurança na compra de veículos usados evitam prejuízos

Foto: SSP-AM

Para quem pretende comprar um carro ou motocicleta de segunda mão, alguns cuidados devem ser tomados para não cair em golpes de estelionatários ou comprar um bem com restrições de roubo ou furto.

De acordo com, a  Polícia Civil do Amazonas e o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM), esses produtos são facilmente comercializados, por apresentarem um preço mais popular, e geralmente são apreendidos em blitz, causando problemas com a Justiça e prejuízo financeiro aos compradores.

No final de 2018, a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos (DERFV) prendeu uma quadrilha especializada em vender veículos roubados e clonados, além de promover financiamentos fraudulentos para lesar instituições bancárias.

O principal cuidado, é verificar os documentos, sempre desconfiando de veículos que estão em nome de terceiros, ou daqueles documentos com atraso de licenciamento.

Se o anuncio for na internet, é melhor marcar um encontro em local público com o comprador, comparar as fotos do anuncio, e só comprar se o vendedor for de fato, o proprietário do veículo.

Vendedor e Comprador devem preencher o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) e reconhecer as assinaturas em cartório, sem emendas ou rasuras.

Após o reconhecimento das assinaturas no CRLV, o prazo para efetuar a transferência é de 30 dias corridos. Desde 21 de janeiro de 2017, a Comunicação de Venda é realizada pelos cartórios, conforme Portaria nº 126/2017 e convênio nº 002/2016.

E no caso das vítimas de roubo: devem fazer imediatamente o Boletim de Ocorrência, para aumentar as chances de recuperação do bem e evitar a adulteração dos veículos. Segundo a polícia, os carros em sua maioria são recuperados com adulterações.

“A maioria dos veículos roubados são recuperados já adulterados. Os veículos localizados com sinais identificadores adulterados, normalmente identificados pelo corpo pericial que atua na DERFV. Em mais de 90% dos casos, o perito consegue revelar a sequência original dos chassis desses veículos, possibilitando a identificação dos seus legítimos proprietários”, destacou o titular da DERFV, Cícero Túlio.

O Comprador deve realizar vistoria do veículo junto a uma Empresa Credenciada de Vistoria (ECV). A referida vistoria será enviada pela ECV de forma eletrônica para o Detran-AM e entregue a via original para o solicitante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here