26 C
Manaus, BR
22 de abril de 2021
Meio ambiente

Fundação Amazonas sustentável distribuirá mais de 450 mil unidades de sachês purificadores de água no Amazonas

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS), associada à Instituição Swaravsaki Waterschool realiza projeto voltado ao saneamento básico e purificação de água em nove reservas de desenvolvimento sustentável (RDS) nas regiões dos rios Solimões, rio Negro, Juruá-jutaí e rio Madeira no Amazonas.

A Fundação distribuirá, no mês de março, mais de 453 mil sachês de purificação de água às comunidades das Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) no Amazonas.

Segundo à superintendente de desenvolvimento sustentável Valcléia Solidade, em 2019 aproximadamente 453,840 sachês serão distribuídos pelas RDS no Amazonas, beneficiando mais de 5 mil famílias. “Anualmente fazemos a entrega dos purificadores de água nas comunidades, esse ano a entrega acontecerá em março. Muitas comunidades têm dificuldade e acesso à água potável, tem famílias aguardam nossa chegada’’ informou a superintendente.

O projeto da FAS engloba também a formação de crianças e adolescentes. Na região do Piagaçu Purus, localizado no médio Rio Madeira e Rio Juruá- na compreensão e prática do consumo adequado da água potável as aulas são práticas, a equipe de idealizadores no Amazonas viaja pelo menos quatro vezes por ano às comunidades, inclusive nas da região do Piagaçu Purus, formando novos conscientizados e fomentando novos conceitos.

“Muitas famílias, por morarem em meio a floresta, não possuem acesso à água tratada, é nesse momento que nosso trabalho tem a importância em levar qualidade de vida a esses povos por meio de palestra, jogos, brincadeiras falando de uma forma muitas vezes lúdica da importância da água potável’’ relatou a coordenadora do projeto escola D’água Raquel Lima.

Ainda de acordo com Raquel, grande parte das comunidades não possuem poço artesiano, e usam água direto do rio, sem nenhum tratamento de purificação, o que ocasiona doenças, principalmente nas crianças. “Uma das alternativas que a família usa, é a fervura da água seguida de filtragem, que pode ser feita com um pano limpo” informou.

Outra opção é armazenar água da chuva, para purificação com sachê que a fundação disponibiliza através da doação feita pela empresa(P&G).“O purificador pode tratar até 10 litros de água em 30 minutos. As comunidades também usam hipoclorito junto com cloro, distribuído pelo sistema publico de saúde”, informa.

As comunidades Surara, Boas Novas, Uixi, Arumã, Santa Luzia do Jari, Tuiué, Nova Supiá, Beabá de Baixa e de cima, reconhecida, fazem parte da RDS Piagaçu Purus, hoje são modelos no cuidado com as fontes da água.

Segundo a coordenadora, em 2019, a segunda etapa do projeto terá início. “O intuito é fazer com que esses 558 alunos que fazem parte da rede Jovem Guardiões e Guardiões da Floresta sejam os líderes nas suas comunidades, desenvolvendo o trabalho sem necessariamente nossa presença constante“, informou Raquel.

Raquel informou que este ano o trabalho com as comunidades será voltado à questão da sustentabilidade, “observamos que grande parte das famílias descartava de forma impropria óleo de cozinha tanto nos rios quanto no solo, para mudar esse cenário vamos começar a fabricar sabão em barra para consumo das famílias e também venda, como forma de renda”. Informou.

São quatro os pilares do projeto. O primeiro ensina os princípios da gestão sustentável da água. Já o segundo pilar permite que as comunidades resolvam seus desafios de armazenamento e purificação da água. Enquanto que o terceiro conscientiza o povo da necessidade na contribuição de todos para um mundo onde todas as pessoas tenham acesso a água potável e saneamento adequado. Por último, tratam de questões ecológicas, culturais e econômicas.

Apoio Internacional

Conforme pesquisas da fundação, a Amazônia tem um quinto da água potável do planeta. A instituição austríaca Swaravsaki Waterschool já ensinou mais de 500.00 de crianças, por pelo menos sete países presente.

Pensando nas gerações futuras lançou propostas do programa Waterschool na Amazônia em parceria com a fundação Amazonas Sustentável programa. Que ajuda comunidades longínquas dos mais diversos países. O objetivo do programa é levar as pessoas a pensar no cuidado com a água do nosso planeta.

Publicações Relacionadas

Petrobras recolhe mais de 133 toneladas de resíduo oleoso de praias

Victória Cavalcante

Comunidade Nova Esperança vai soltar quelônios no rio Cuieiras

Redacao

Sumaúma recebe mais de 400 visitantes campanha ‘Um Dia no Parque’

Redacao

Deixe um comentário

WhatsApp chat