26 C
Manaus, BR
22 de abril de 2021
Destaques

Indícios na Operação Sangria indicam envolvimento de Wilson Lima em organização criminosa

A Operação Sangria realizada pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal revelou conversas suspeitas no núcleo da saúde pública da gestão de Wilson Lima. A coluna de um jornalista e apresentador local divulga informações da decisão assinada pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça, Francisco Falcão. Possibilidade nos bastidores políticos foram mostradas em matéria jornalística para TV exibida nessa sexta-feira (16).

Na segunda fase da Operação Sangria que ocorreu recentemente, o ministro Francisco Falcão havia autorizado a prisão de 5 envolvidos e também busca e apreensão em diversos lugares. A aquisição dos ventiladores pulmonares superfaturada foi feita com ciência da cúpula da gestão de Wilson Lima. Conforme a matéria jornalística, as investigações apontam que há uma organização criminosa responsável por fraude à licitação, peculato e lavagem de dinheiro. Há indícios de envolvimento do governador Wilson Lima (PSC).

Os bastidores políticos, aponta a matéria jornalística, indicam um provável afastamento de Wilson Lima no futuro. De acordo com um documento do Ministério Público Federal, foi possível identificar, pela análise de novos elementos de provas, mais dois envolvidos no esquema ilegal e que são pessoas próximas de Wilson Lima, o que reforça a hipótese investigativa que ele ser o principal articulador do esquema.

Um acontecimento chamativo para as autoridades foi uma conversa entre Rodrigo Tobias, ex-secretário de Saúde, João Paulo, ex-secretário adjunto de Saúde, e Perseverando Garcia, ex-secretário executivo adjunto de Saúde. Os três discutiram a forma de como seriam adquiridos os ventiladores pulmonares pela empresa Sonoar. Perseverando sugeriu a criação de um processo fantasma, destaca o documento do Superior Tribunal de Justiça.

A Polícia Federal aponta a atuação de Luiz Carlos Avelino Júnior (marido da ex-secretária de Comunicação e pessoa próxima de Wilson Lima, Daniela Assayag). Foi comprovado pelas investigações que ele tem vínculo com a Sonoar desde dezembro de 2019. A Sonoar é responsável pela aquisição dos ventiladores pulmonares, para esses serem revendidos pela Vineria Adega ao governo estadual.

Até o fechamento desta matéria, a Secretaria de Estado de Comunicação Social não se posicionou sobre o assunto.

Fonte: D24am.

Publicações Relacionadas

Advogado Wassef deixa defesa do senador Flávio Bolsonaro

Francisco Araujo

“Abençoado” foragido da polícia é morto em troca de tiros na AM-010

Jeanne Gade

Charge da semana – Por Pojucan Bacellar

Redacao

Deixe um comentário

WhatsApp chat