24.5 C
Manaus, BR
7 de maio de 2021
Destaques Entretenimento

Grupo Allegriah realiza oficinas artísticas em zona rural de Manacapuru

Teve como ponto de partida o município de Iranduba com a circulação da performance “Nos Caminhos desse Rio” e oficina de Iniciação Teatral. Agora chega a zona rural do município de Manacapuru – Am com uma maratona de oficinas formativas que iniciará no dia 29 de abril e encerra dia 1 de maio.

A primeira oficina será a de “Contação de Histórias” ministrada por Vitor Lima no dia 29 de abril às 9h30. A segunda oficina será a de “Teatro de Objetos” ministrada por Jackeline Monteiro no mesmo dia às 14h30. A terceira oficina será a de “Teatro de Fantoches (confecção e manipulação)” com materiais reutilizáveis ministrada por Leandro Lopes no dia 30 de abril às 9h30. A quarta oficina será a de “Fundamentos para Percussão Popular e Rudimentar (Marcial – Bandas e Fanfarras) ministrada por Stivisson Menezes às 14h30 e para encerrar a quinta oficina será a de Iniciação Musical com Flauta doce ministrada por Jesus Elbitar no dia 1 de maio em dois horários, às 9h30 e 14h30.

Todas as oficinas terão duração de 3h, totalizando 15h de oficinas, todas com direito a certificado.

O coletivo Allegriah é composto por artistas de teatro e música. Contamos com Vitor Lima que além de ser o coordenador do projeto é também artística educador, produtor cultural que trabalha com a literatura Amazonense e contos amazônicos; Jackeline Monteiro que é artista educadora e produtora do grupo; Leandro Lopes artista educador que trabalha com um viés ameríndio; Samuel Oliveira artista circense, dançarino e coreógrafo; Erika Gonçalves atriz e cantora; Stivisson Menezes artista educador e percussionista. Neste projeto contamos com a participação do músico flautista Jesus Elbitar. Como designer assume Deivisson Mello e como Filmaker/Videomaker temos a participação de Elias Braga.

Pontua Vitor Lima, que no período pandêmico nasceu o projeto “De Coisa em Treco Uma História” que foi premiado nos três lotes do edital Fica na Rede Maninho, da Secretaria de Estado e Economia Criativa do Governo do Estado do Amazonas, daí surge a vontade de multiplicar essa projeto para os interiores do Amazonas, pois os participantes tem a oportunidade de ter seu primeiro contato com a arte por meio de materiais que tem em suas casas.

“Sobre a escolha do local, tentamos de todas as maneiras adaptar as oficinas para o contexto remoto, mas no momento do mapeamento no município, nos deparamos com outra realidade. A comunidade que escolhemos trabalhar é situada em uma zona rural em que até os serviços essenciais é de difícil acesso e a proposta do projeto é alcançar os interiores, logo, não faria sentido realizar as oficinas online, porque seriam alcançadas mais as pessoas da metrópole” pontua Vitor Lima.

“A Oficina de Contação de História traz o resgate das histórias contadas pelos próprios participantes, que trazem consigo vivencias, memórias de seu cotidiano e a proposta é transformar essas vivências em cenas artísticas em que podem identificar suas potencialidades por meio dos exercícios de corpo, voz, jogos teatrais entre outros” afirma Vitor Lima.

“Proporcionar que a arte chegue em diferentes municípios do Amazonas tem sido nosso alvo enquanto produtores de Arte. A oficina de teatro de objetos foi pensada especificamente para este período pandêmico, uma vez que, a oficina oportuniza ressignificar diferentes objetos que se tem em casa, como por exemplo: um copo, uma colher ou até uma garrafa pet, que podem se transformar em diferentes personagens dentro de uma narrativa, e, é uma maneira de instigar a imaginação dos envolvidos”, conta Jackeline Monteiro.

“E como medida de segurança para evitar a proliferação do covid-19 será obrigatório o uso de máscara nos locais aonde acontecerão as oficinas, com distribuição de álcool em gel e máscara para quem não tiver e uma equipe orientando os participantes para que mantenham o distanciamento social”, completa.

“As oficinas de construção de bonecos e abayomi, nos traz o exercício da ludicidade, dando auxílio aos valores da sociedade, regras de conduta, formação de opinião, e nos possibilita novas relações com o outro e com nós mesmos, através da troca entre a teoria e prática, pois com o manuseio do boneco e a criação das abayomis se pode alfabetizar, contar histórias, falar da importância de cuidarmos do planeta na utilização dos materiais recicláveis na fabricação dos bonecos.

A confecção da Abaymi na oficina não é apenas uma boneca ou boneco de pano que serve como brinquedo, ela é um ato de resistência, onde compreendemos a importância da trajetória histórica de uma das matrizes que é a afro-brasileira, a partir de todos esses apontamentos é possível termos uma dimensão da história do brasil e sua ligação com o continente africano” afirma Leandro Lopes.

“As propostas vão muito além de apenas ensinar com as oficinas ministradas, ela é rica em diversidade cultural, sensibilidade, respeito, compreensão, pois através da informação identificamos a importância da identidade através das matrizes indígenas, afro e europeia” Ressalta Leandro Lopes.

“A oficina norteia-se ao estudo percussivo ligado as tradições e produções culturais de forma oralizada e formal aliada aos fundamentos. Traremos a comunidade um estudo do ritmo, noções teóricas, técnica, rebote natural das baquetas, compreensão do tempo e como funciona a percussão em geral. Visa apresentar uma visão panorâmica da Percussão Popular e Rudimentar, sensibilizando e estimulando o participante para um estudo e vivência das culturas populares, inclusive a local” pontua Stivisson Menezes.

“Em sua essência, uma formação qualitativa técnico-instrumental individualizada e coletiva, uma educação musical consonante a noções teóricas. Os instrumentos de percussão se baseiam totalmente em cima de divisões rítmicas, e cada um tem uma leitura de pauta diferente do outro, e esse será o diferencial da oficina, cada participante revelará sua musicalidade” completou Stivisson Menezes.

O projeto conta com o apoio do Programa Cultura Criativa – 2020/Lei Aldir Blanc – Prêmio Encontro das Artes” do Governo Do Estado do Amazonas, com o apoio do Governo Federal – Ministério Do Turismo – Secretaria Especial Da Cultura, Fundo Nacional De Cultura, destinado ao município de Manacapuru-AM.

Serviço:
• O que: Oficina de Contação de História Quando: 29/04/2021 às 9h30.

• O que: Oficina Teatro de Objetos
• Quando: 29/04/2021 às 14h30.

• O que: Oficina Teatro de Fantoches (confecção e manipulação)
• Quando: 30/04/2021 às 9h30

• O que: Oficina de Fundamentos para Percussão Popular e Rudimentar (Marcial – Bandas e Fanfarras)
• Quando: 30/04/2021 às 14h30.

• O que: Iniciação Musical com Flauta Doce | Quando: 01/05/2021 às 9h30 e 14h30.

• Onde: O ponto de Encontro será no Restaurante da Jóila situa na Rua Benjamin Roberto, s/n. Comunidade rural Bela Vista – Manacapuru, Am.

• Quanto: Gratuito para todos os públicos

Mais informações:
E-mail: [email protected] | Fanpage: https://www.facebook.com/allegriah | Instagram: https://www.instagram.com/allegriahoficial/ | Youtube: https://www.youtube.com/Allegriah

Publicações Relacionadas

“São tudo velho do mesmo”, diz o candidato Coronel Menezes pela Prefeitura de Manaus

Flavia da Hora

Projeto Cultura Pela Vida retorna com live beneficente

Luciana Silva

David Almeida tem pedido negado pela CPI da Saúde

Flavia da Hora

Deixe um comentário

WhatsApp chat