A Fundação de Vigilância e Saúde do Amazonas Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), publicou, na noite desta quarta-feira (1º/09), um comunicado com orientações quanto às restrições do consumo de pescado extrativo (oriundo de lagos e rios) no município de Itacoatiara (a 176 quilômetros de Manaus) pelos próximos 15 dias, como medida para conter a proliferação da rabdomiólise na região.

O comunicado informa que devido às evidências de casos de rabdomiólise relacionados a ingestão de pescados, a FVS-RCP orienta a população do município de Itacoatiara, um dos pontos com mais casos da doença, a restrição temporária do consumo dos peixes Pirapitinga, Pacu e Tambaqui, de origem de pesca em rios e lagos, sendo essas as espécies que podem estar associadas ao aumento de casos no município.

O documento esclarece ainda que o pescado com origem de criadores em tanques de piscicultura não está associado aos casos da doença, além de outras espécies de peixes encontrados nas bacias de rios e lagos da região.

A recomendação para os demais municípios é de alertar a rede de saúde para a identificação de possíveis novos casos e orientar a população quanto aos sinais e sintomas da doença.

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), Secretarias Municipais de Saúde, Fundação de Vigilância e Saúde do Amazonas – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) – com o apoio da Fundação de Medicina Tropical – Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), informa ainda que medidas referentes à assistência aos pacientes com definição de Unidade de Referência, aos que necessitam de internação, estão sendo adotadas para garantir o manejo clínico adequado.