28.3 C
Manaus, BR
5 de agosto de 2021
Destaques Especiais

Fim da Escravidão: A comunidade negra com representatividade no Amazonas

No dia 10 de julho de 1884, na Praça 28 de setembro, o então presidente da província do Amazonas, Theodoreto Souto, declarou fim a escravidão e a igualdade de direitos dos negros no Amazonas. Essa luta tem sido diária por uma representatividade maior na sociedade, como a das lideranças do Instituto Nacional Afro Origem/ Inaô, com o ativista Christian Rocha.

Essa semana, foi derrubado um Projeto de Lei (PL 225/2021) da deputada estadual Joana Darc, que se dirigia à saúde do negro. A comunidade negra foi a que mais sofreu durante a pandemia por serem propensos a hipertensão, baixo nível econômico e social. Durante a sessão no plenário, alguns parlamentares citaram até o racismo reverso, o que foi muito criticado.

“Quando chega um PL desse e a ALE acha um absurdo. Um absurdo é a gente ter que pagar pra esses deputados que são contra as políticas públicas afirmativas para a comunidade negra, legislar em prol da sociedade. Um absurdo pagar o salário desses deputados sem conhecimento da causa”, afirma Christian Rocha.

O Instituto Nacional Afro Origem (INAÔ) tem realizado diversas ações com comunidades negras, na capital e interior. São ações sociais para as famílias vítimas da cheia do Rio Negro e da pandemia. Com orientações em atendimento médico e emprego e renda e visitas nos quilombolas. As parcerias, como da Sejusc, tem ajudado a desenvolver esse trabalho pelo Estado.

História

A etnia negra foi introduzida na Amazônia no século 18, entre 1756 e 1788 quando 28.647 escravos chegaram à região, comprados pela Companhia Geral do Grão Pará e Maranhão, com esse número representando 4,36% do total de escravos entrados no Brasil naquele período.

No século seguinte, no ano de 1848, o número de escravos na Amazônia havia aumentado para 34.207 quase todos vivendo no Pará e apenas 710 no Amazonas, na região do Rio Negro, representando 3,1% dos 22.692 habitantes deste pedaço do Brasil elevado à categoria de Província, pela Lei 528/1850.

Foto: Inaô

Publicações Relacionadas

Consumidor de Carauari receberá mais de R$15 mil por indenização

Flavia da Hora

Amazonas se torna autossuficiente na produção de oxigênio

Flavia da Hora

Rejeição, o fantasma que assombra Amazonino em Manaus

Redacao

Deixe um comentário

WhatsApp chat
takipçi al takip2018 takipcihilesi
takipçi al takip2018 takipcihilesi