SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Com 14 anos recém-completos, o jogador Bruninho Samudio assinou na última quinta-feira (22) seu primeiro contrato com o Athletico Paranaense.

Sua mãe, Eliza Samudio, vítima de feminicídio em 2010, teria completado 39 anos de idade na data. Bruninho já vem jogando no clube desde o ano passado, como goleiro.

A novidade foi comemorada nas redes sociais pela avó, Sonia de Fátima Moura, tutora de Bruninho. Viúva há dois anos, ela se mudou com o neto de Campo Grande (MS) para o Paraná, para acompanhar o jovem em sua carreira no futebol.

Em suas redes sociais, Sonia homenageou a memória da filha e disse que Bruninho carrega o “mesmo brilho no olhar”.

“A lembrança do dia da sua chegada me faz sorrir mesmo em lágrimas. Existe uma ferida aberta em meu coração. Você se foi. Quero crer que todas as suas cicatrizes, dores e sofrimentos pela sua partida tão cruel e brutal, hoje não lhe pertencem mais. Tenho comigo a melhor parte de você, onde vejo o mesmo brilho no olhar, a mesma alegria, a mesma determinação, a mesma força, a mesma luz, Bruninho, seu filho, é a essência viva sua”, escreveu Sonia.

O goleiro Bruno Fernandes foi condenado em 2013 a 22 anos de prisão pelo homicídio, ocultação de cadáver, sequestro e cárcere privado de Eliza Samudio. Em 2019, ele progrediu para o regime semiaberto e em janeiro de 2023, ganhou liberdade condicional. No ano passado, a defesa de Bruno questionou a paternidade de Bruninho e pediu exame de DNA, após ele interromper o pagamento de pensão alimentícia para o menino. A ação de alimentos ainda corre na Justiça.