JACK GUEZ/AFP

Após acusar os terroristas do Hamas de violarem a trégua, o Exército israelense retomou as operações de combate na Faixa de Gaza. O anúncio foi feito nesta sexta-feira, 1º, durante a madrugada, enquanto ataques aéreos e de artilharia eram realizados na Cidade de Gaza.

Em comunicado, o Exército afirmou que o Hamas violou a pausa operacional e disparou contra o território israelense, o que motivou a retomada do combate contra a organização terrorista. Desde o dia 24 de novembro, quando o acordo mediado pelo Catar entrou em vigor, 107 reféns foram libertados na Faixa de Gaza e puderam retornar para suas famílias. Em contrapartida, o governo israelense soltou cerca de 300 palestinos que estavam em prisões do país.

Durante essa trégua, que durou mais de 50 dias de guerra, mulheres e crianças sequestradas tiveram prioridade. No entanto, das 240 pessoas levadas pelo Hamas no ataque terrorista de 7 de outubro, 130 ainda aguardam negociações para serem libertadas, incluindo um brasileiro.

Diante dessa situação, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, viajou para Israel nesta quinta-feira, 30, e fez um apelo para uma nova extensão da trégua. A Casa Branca, em conjunto com parceiros na região, está empenhada em libertar os cidadãos dos EUA que estão nas mãos do Hamas, mas até o momento apenas uma criança de 4 anos e uma americana com cidadania israelense foram soltas nos últimos dias.

Jovem Pan