26 C
Manaus, BR
22 de abril de 2021
Artigos Luisa Santiago

Depressão, uma doença silenciosa e tão perigosa!

Depressão por vezes invisível aos olhos, porém destruidora. A sociedade criou um padrão de que expor suas emoções ou deixar que as notem é sinal de fraqueza, logo então não seríamos de carne e osso. Por que temos que viver como se fôssemos de ferro? Por vezes é uma forma de proteção, mas que pode ser devastadora.

Pessoas que estão sofrendo por dentro, mas que colocam facetas. Se todas as vezes, fosse possível, notar pessoas com depressão, seria menor o índice de agravamento e suicídio. Mas acontece que nem sempre é notável, pois as pessoas escondem, reprimem sentimentos. Dizem “estou bem” agindo como se estivessem, mantendo a aparência, mas a verdade é que estão destruídas internamente e não conseguem pedir ajuda ou partilhar desse sofrimento, as vezes até a família não nota. Existem pessoas sorrindo ao seu lado com tristezas profundas.

Foto: Vitor Vieira

As pessoas precisam cuidar da saúde mental, mas negam cada vez mais, negam para não ter que falar da sua dor, para não tocar no assunto que traz angústia, não sabem lidar com a realidade do sofrimento, com tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo. E quem disse que alguém não tem problemas? Todos nós temos, seja em qual for o momento, sempre vai surgir um desajuste, algo fora do planejado e quando isso acontece não estamos preparados. As vezes por mais fortes que pensamos e parecemos ser, não aguentamos a pressão, não queremos acreditar. A vida é assim cheia de alterações, nos traz surpresas boas que nos arranca suspiros e outras desagradáveis que nos tira o chão e como lidar com essa realidade? Você acha que consegue sozinho? Que a melhor forma é esconder? Se isolar?

De acordo com a Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID-10) a depressão é uma doença psiquiátrica crônica e recorrente que produz alteração do humor, caracterizada por tristeza profunda, associada a sentimento de dor, desesperança, baixa autoestima e culpa.

É uma doença como qualquer outra, não é sinal de loucura, nem de preguiça e nem de irresponsabilidade, pode afetar qualquer faixa etária e estilo de vida, classificada em três níveis: leve, moderado e grave. É mais notável quando se está no nível grave e como notar quando alguém está no nível leve? quando aparentemente está seguindo sua rotina “normal”? quando uma mulher que é vaidosa está com unhas feitas, cabelos bem cuidados, arrumada e ela diz que está com depressão; as pessoas acreditam? NÃO! Infelizmente existe aquela minoria que se aproveita da existência dessa doença terrível. Mas a sociedade julga até mesmo aquelas pessoas que estão com sintomas explícitos, não acreditam, julgam, apontam os dedos como se isso fosse resolver ou como se estivessem na pele do outro, por vezes fazem piadas, zombam, dizem que é frescura que querem se fazer de vítima, que querem chamar atenção, quando na realidade você não tem ideia do que está acontecendo, se baseia em sua percepção que muitas vezes está distorcida.

Tantas pessoas que já perderam a vida infelizmente por causa de outras pessoas. Gente que não se dá conta do impacto que suas palavras causam, não têm empatia e respeito, isso é um dos motivos pelo qual muitas pessoas escondem o seu sofrimento, se fecham, não permitindo qualquer possibilidade de ajuda. Lutamos contra essa doença mas a sociedade não colabora infelizmente. Mesmo com o índice aumentando ainda sim é só julgamento.

A depressão surge de vários fatores, desde desemprego, luto por algum ente querido, desentendimentos seja no trabalho, familiar ou outro lugar, excesso de trabalho, pressões, estresse, frustações, decepções amorosas, divórcios, receber diagnóstico de uma doença grave, a maioria das vezes a pessoa recebe essa notícia, sem a preparação adequada de um profissional, fica em estado de choque e as vezes tenta esconder até das pessoas mais próximas. Como lidar com a realidade de que você tem poucos dias de vida? Ou saber de quem você ama, que de uma hora pra outra tudo vai mudar?

Existem doenças que não têm cura, como o HIV, mas que existe o tratamento que pode retardar significativamente o progresso da doença, como prevenir infecções secundárias e complicações. Mas receber um diagnóstico desse não é encarado dessa forma, o que acaba levando a depressão, não fazem o tratamento, vão deixando de viver, já não sentem prazer em nada, perdem o sentindo da vida, mas ainda sim tentam esconder, e por isso é uma doença silenciosa que muitos não percebem o que está acontecendo, porque a depressão fica camuflada, porém destruindo por dentro, que infelizmente muitas das vezes leva ao suicídio ou deixa outras doenças se agravarem e com isso deixam de se cuidar, não buscam ajuda.

Entre os sintomas da depressão estão: irritabilidade, ansiedade, angústia, desânimo, cansaço com facilidade, indisposição, diminuição ou incapacidade de sentir alegria e prazer, desinteresse, falta de motivação e apatia; medo, insegurança, desespero, desamparo, pessimismo, sensação de inutilidade, ruína e fracasso; interpretação distorcida e negativa da realidade, dificuldade de concentração, raciocínio mais lento e esquecimento; alteração do peso (perda ou ganho de peso com frequência); distúrbio do sono (insônia ou sono excessivo); ideias suicidas (pensamentos recorrentes de suicídio ou morte); alteração da libido; falta de cuidado com a higiene pessoal, não toma banho, não penteia os cabelos, querem ficar sempre na cama, se isola ou diminui a interação social. Também apresenta sintomas físicos como dores de cabeça, dores no corpo, pressão no peito, queda da imunidade, tensão nos ombros, entre outros.

É importante diferenciar a tristeza da depressão, quem está triste costuma ter pensamentos repetitivos sobre a razão da tristeza. A depressão é uma tristeza profunda e muitas vezes sem conteúdo, sem motivo aparente. Mesmo se algo maravilhoso acontecer ou estiver acontecendo a pessoa continuará triste.

De acordo com uma pesquisa da Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão será até 2020, o maior motivo de afastamento do trabalho no mundo, é considerada como “ O Mal do Século”.

As pessoas precisam se manter informadas, sobre a doença, suas características, sintomas e riscos. Diagnóstico precoce evita agravamento. Dependendo da gravidade, pode desencadear outras doenças como infarto, AVC e hipertensão entre outras.

Publicações Relacionadas

Divertir-se na favela é risco de morte

Francisco Araujo

Vivemos dias em que ter lado é um privilégio

Francisco Araujo

O braço do município na segurança

Francisco Araujo

Deixe um comentário

WhatsApp chat