24.5 C
Manaus, BR
18 de abril de 2021
Artigos Pastores Edson e Lenir

Cura da alma – Jó

“Na sua mão está a alma de tudo quanto vive, e o espírito de toda a carne humana.” – Jó 12:10

INTRODUÇÃO:
Não podemos precisar quando, como e onde começam as feridas na alma. Até porque isto não é um trabalho científico e não temos nenhuma pretensão de sermos maiores do que os técnicos da área.

Através de algumas pesquisas, podemos deduzir que muitas destas feridas começam ainda na infância, por meio de traumas, medos, agressões e desajustes familiares.

São crianças que foram submetidas a verdadeiras torturas, travestidas de correção, de educação e de esforços sobre-humanos, mesmo com uma intenção angelical.

Jó, diante do sofrimento intenso pelo que passou, fruto de desastres quase que articulados, mostrou-se com uma alma completamente afetada por uma doença horrível e corrosiva.

No Capítulo 3:25 e 26 ele expõe não só a ferida da alma como também a possível causa para tantas tragédias seguidas:

Porque aquilo que temia me sobreveio; e o que receava me aconteceu.
Nunca estive tranquilo, nem sosseguei, nem repousei, mas veio sobre mim a perturbação.
Nestes versículos Jó deixa claro que tinha uma mente enferma que constantemente vislumbrava desfechos horrorosos. Ele cita alguns destes sentimentos, como: temor, receio, intranquilidade, sossego, repouso, perturbação.

Jó era rico, íntegro, reto, temente a Deus, mas profundamente infeliz. Um homem que declara: “Nunca estive tranquilo, nunca sosseguei, nunca repousei, é um homem amargo, ressentido, com dores profundas da alma.

PRIMEIRO – A nossa alma está nas mãos de Deus e Ele não quer que sejamos doentes.
Romanos 12:1-2 – Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.
E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.

A cura da nossa alma começa diante de duas situações que não são tão simples assim.
A primeira, é a admissão e confissão de que você tem uma doença de alma. Jó abriu o coração e declarou:
Porque aquilo que temia me sobreveio; e o que receava me aconteceu.

Nunca estive tranquilo, nem sosseguei, nem repousei, mas veio sobre mim a perturbação.
A segunda é a decisão de transformarmos a nossa mente, o nosso entendimento: E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.

Se a nossa alma está nas mãos de Deus e Ele não quer que soframos, a responsabilidade por este sofrimento, pela continuação ou pelo fim dele, é nossa.

SEGUNDO – Devemos desviar os nossos pensamentos para o bem e não para o mal.
Filipenses 4:8 – Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.
Como podemos controlar a nossa mente?

Primeiro, Deixando, pois, toda a malícia, e todo o engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações, 1 Pedro 2:1

O mundo vai nos envolvendo e acaba nos moldando, nos enformando. O que é moda na novela, passa a ser moda na nossa vida cotidiana. Sofremos quando o galã é morto ou maltratado e torcemos para que o vilão se ferre, morra ou vá para prisão. Esquecemos porém, que é só uma novela. O vilão de hoje pode ser o galã de amanhã, numa próxima novela.

Como podemos dominar a nossa mente? Pensai nas coisas que são lá do alto, e não nas que são da terra; Colossenses 3:2
Se Jó tivesse pensado nas coisas que são lá do alto, no momento que viessem os temores e os receios, ao invés de ficar perturbado, intranquilo, sem sossego e descanso, ele teria declarado: Senhor, em tuas mãos entrego os meus filhos, os meus animais, as minhas propriedades, a minha saúde, o meu casamento…

Podemos também fazer este exercício diariamente. Precisamos desviar a nossa mente para as coisas boas deste mundo, as coisas boas do reino. Precisamos aprender a orar como o salmista: Em paz também me deitarei e dormirei, porque só tu, Senhor, me fazes habitar em segurança. Salmos 4:8

CONCLUSÃO:
Se a nossa alma está nas mãos de Deus e Ele não quer que tenhamos uma ferida na alma, tudo o que temos que fazer é esperar a cura Nele.

Não podemos fanatizar o problema. Quando Jesus pede para que não andemos ansiosos, não está dizendo que devemos relaxar e deixar a vida nos levar. Não. Ele está claramente pedindo para que não sejamos consumidos pelos problemas.

PENSE NAS COISAS QUE SÃO LÁ DO ALTO.

Edson e Lenir de Jesus – São Pastores da Igreja Batista Bíblica de Flores – Manaus – AM

Publicações Relacionadas

Mundo pet: Perder um animalzinho

Francisco Araujo

Confiança no Senhor – Moisés

Francisco Araujo

O Patriotismo por Conveniência

Francisco Araujo

1 Comentários

Avatar
Jucicleia 26 de fevereiro de 2020 at 15:06

Muito lindo e edificante este artigo. Glória a Deus!

Resposta

Deixe um comentário

WhatsApp chat