30.3 C
Manaus, BR
24 de julho de 2021
Segurança

Bonates se defende de notícias veiculadas em rede nacional e diz que é requentada

coronel Louismar Bonates,

Nesta quinta-feira (30), foi veiculado em rede nacional que o Governo do Amazonas sabia da chance de ocorrer um massacre nas unidades prisionais do Estado e que o titular da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), coronel Louismar Bonates, teria negociado com a Família do Norte (FDN) a ampliação do poder da facção.

Ainda segundo a apuração da reportagem, o titular da pasta estaria sendo investigado pela Polícia Federal e o Ministério Público Federal.

Em 2017, a FDN massacrou a facção rival, o Primeiro Comando da Capital (PCC). Na época, 56 pessoas do sistema carcerário foram assassinadas.

No último domingo (26) e na segunda (27) uma nova rebelião resultou na morte de detentos de três presídios na capital, somados os massacres somam 122 assassinatos ocorridos nos três presídios da capital.

Durante pronunciamento do governador do Estado, Wilson Lima, na terça-feira (28), anunciou que o contrato do Governo com a empresa Umanizzare no Completo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) encerra sábado (1º) e, uma nova cotação de preço será feita para contratar outras empresas para administrar o Compaj.

Mas, que a Umanizzare deve continuar administrando o complexo até a instalação efetiva da nova empresa.

Os mandantes responsáveis pela matança já teriam sido identificados. O governador informou ainda que solicitou ao Governo Federal para a transferência destes presos para unidades de segurança máxima do país.

O coronel Louismar Bonates, escolhido por Wilson Lima para titular da pasta da SSP-AM, disse, por meio de nota, que não responde a nenhum processo judicial relativo à mencionada investigação e que, portanto, não há nada que o desabone ou o desabilite a ocupar o cargo de secretário de Segurança Pública na atual administração estadual.

“É uma matéria requentada. Na época do início do governo do Wilson Lima, foi levantado pela imprensa séria e foram até o Ministério Público Federal que declarou que eu não fui nem citado. Passei longe dessa operação. Isto é um fato político que estão tentando atingir o Governo que está trabalhando em prol da população”, disse Bonates.

Publicações Relacionadas

Cresce o número de fraudes com cartão de crédito e polícia alerta a população

Redacao

Foragido do CDPM é recapturado no bairro Monte das Oliveiras

Conceição Melquiades

Mulher atropela ex-marido é grava vídeo

Redacao

Deixe um comentário

WhatsApp chat
takipçi al takip2018 takipcihilesi
takipçi al takip2018 takipcihilesi