25 C
Manaus, BR
24 de outubro de 2020
Meio ambiente

“Amazônia ou Bolsonaro”, declara Leonardo DiCaprio; Ricardo Salles rebate ator

Amazônia

O ator norte-americano Leonardo DiCaprio usou as suas redes sociais para compartilhar um vídeo da organização Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) e aderir à uma campanha que denuncia as queimadas na Amazônia pedindo que toda a sociedade, incluindo governos e empresas ao redor do mundo se posicionem referente às políticas públicas de preservação ao meio ambiente. A campanha usa hashtags como #DefundBolsonaro (desfinancie Bolsonaro), #AmazonOrBolsonaro (Amazônia ou Bolsonaro) e #WhichSideAreYouOn (de que lado você está).

Após a publicação do ator, o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles mandou uma mensagem direcionada a ele através de suas redes sociais nesta quinta-feira (10). No texto, Salles propõe que DiCaprio participe do projeto de preservação ‘Adote um Parque’ que está sendo lançado se permite que qualquer indivíduo escolha um dos 132 parques na Amazônia e o patrocine diretamente por 10 euros por hectare anualmente.

No final de 2019, Leonardo DiCaprio já havia se posicionado e criticado a política do governo de Jair Bolsonaro pedindo o fim da mineração e exploração das terras dos povos Yanomami e Ye’kwana. A mensagem dizia:

“Chega de mineração” – uma mensagem poderosa dos povos Yanomami e Ye’kwana do norte do Brasil para o mundo. Apesar das leis brasileiras que proíbem a mineração em terras indígenas Yanomami, milhares de garimpeiros entraram recentemente no Parque Yanomami, uma das maiores reservas indígenas do Brasil, espalhando malária e contaminando rios com mercúrio. A invasão ocorre depois que o orçamento para as operações de aplicação da lei da Amazônia no Brasil foi cortado, deixando as áreas protegidas vulneráveis ​​à exploração. A última vez que houve uma invasão dessa escala foi durante a década de 1980, quando cerca de um quinto da população indígena morreu de violência, malária, desnutrição, envenenamento por mercúrio e outras causas. Em um recente Fórum de Liderança Yanomami e Ye’kwana, os líderes da tribo enviaram uma carta às principais autoridades do Executivo e do Judiciário brasileiro. “Não queremos repetir essa história de massacre”, diz o manifesto.

Com informações do O Globo*

Foto: Bruno Kelly/Amazônia Real

Publicações Relacionadas

ONU divulga relatório que mostra drástico avanço do nível do mar

Victoria Cavalcante

Ipaam intensifica fiscalização e pretende doar materiais apreendidos

Redacao

Projeto que institui Carbono Zero para grandes eventos avança na Câmara

Conceição Melquiades

Deixe um comentário

WhatsApp chat