26 C
Manaus, BR
22 de abril de 2021
Artigos Roberto Rivelino

A inominável comissão que mais se assemelha ao combustível de um forno a lenha para pizza

Na manhã desta terça-feira (14), a Casa Legislativa do Amazonas (Aleam) definiu os nomes dos deputados que irão compor a presidência e a relatoria da Comissão Especial do Impeachment do governador do Amazonas, Wilson Lima, e de Carlos Almeida seu vice. 

Para surpresa da sociedade amazonense os nomes escolhidos são bem conhecidos da população pela defesa intransigente do governador, os deputados Alessandra Campêlo (MDB), e o Dr. Gomes (PSC), ambos, foram eleitos para ocuparem os cargos da presidência e relatoria respectivamente da alusiva comissão de impeachment, espera-se que essa composição possa analisar, com a devida isenção, as denúncias de afastamento dos gestores do Estado pelos crimes de responsabilidade.

Logo que o resultado dessa votação chegou as redes sociais, a famosa expressão “tudo vai acabar em pizza” foi a tônica das mensagens e post’s no ciberespaço, um reflexo natural da incredulidade da população com a classe política em nosso estado.

De pronto, o deputado da ala oposicionista ao governo Wilson Lima, se manifestou: Para o deputado estadual Wilker Barreto (Podemos), a escolha de aliados próximos do atual governo para condução dos trabalhos é um gesto “pequeno” da Assembleia para a sociedade amazonense. Abre aspas, “Para nossa tristeza, a Assembleia deu uma demonstração de pequenez para a sociedade ao votar em uma presidente e em um relator totalmente governista. O correto seriam nomes mais neutros possíveis para julgar o pedido de impeachment. O parlamentar ressaltou ainda, que o papel principal da Assembleia é fiscalizar o Governo e dar voz e vez para os clamores da sociedade amazonense. E que, “Esta Casa deveria andar do lado da ética, da moral e do que o povo do Amazonas quer e necessita.

Mediante os fatos o indicativo dessa comissão será de procrastinação possivelmente, tendo em vista a relação umbilical dos membros eleitos, e sua defesa em assuntos correlatos com o governador como base aliada. É notório que a bancada que elegeu à referida comissão não causará maiores problemas ao Governador, em contrapartida, a população não compartilha dessa tendência ao termino do relatório. Claro, se confirmando essa tendência nessa nítida operação de salvamento, os deputados estarão colocando em risco seus mandatos, nas próximas eleições em 2022. Uma verdadeira sinuca de bico na qual os deputados aliados se meteram, veremos então se a lealdade ao governador é diretamente proporcional coragem de salvar seus próprios mandatos.    

Publicações Relacionadas

A verdadeira conversão – Cristo

Francisco Araujo

O poder moderador ficou no Brasil Império

Francisco Araujo

Sodoma e Gomorra e a igreja contemporânea

Francisco Araujo

Deixe um comentário

WhatsApp chat